Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    48.443,52
    +1.034,32 (+2,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.282,75
    -226,75 (-1,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Toyota prepara investimento pesado para reduzir custos de baterias em até 50%

·2 minuto de leitura

A Toyota não quer medir esforços para seguir como uma das principais montadoras de carros do mundo e, para isso, tem separado um vultuoso orçamento para o desenvolvimento de baterias melhores e menos custosas. Segundo o The Wall Street Journal, a ideia da fabricante japonesa é investir US$ 13,6 bilhões (R$ 70,3 bi) nos próximos dez anos.

Masahiko Maeda, diretor de tecnologia da Toyota, explicou que o investimento inclui a criação de 10 linhas de montagens de baterias até 2025, número que pode ser ampliado para 70 nos próximos 10 anos, com a empresa chegando a produzir um total de 200 GWh de baterias no período. Para efeitos comparativos, a Volkswagen quer produzir de 240 GWh de baterias até 2030, somente na Europa, e a Ford quer produzir o mesmo número, mas em escala global.

A ideia paralela ao investimento na tecnologia das baterias é desenvolver carros que as utilizem de forma mais eficiente, resultando em 30% menos energia consumida por quilômetro rodado. “Por meio deste desenvolvimento integrado de veículos e baterias, pretendemos reduzir o custo da bateria por veículo em 50%, em comparação com o Toyota BZ4X, na segunda metade da década de 2020”, explicou Maeda.

A Toyota também está trabalhando na produção em massa de baterias em estado sólido, que teriam maior velocidade de carregamento e seriam menos propensas a pegar fogo do que as de íon de lítio. Segundo Maeda, a fabricante “ainda está em busca dos melhores materiais para usar”. Os altos custos de produção, cerca de oito vezes maiores do que o de uma bateria de íon-lítio líquida, também é um empecilho para o plano da marca de adotar esse modelo no momento.

Carros elétricos, híbridos e a hidrogênio

Além do pesado investimento em baterias mais modernas e menos custosas, a Toyota também quer ampliar a gama de veículos elétricos, híbridos e a hidrogênio. Segundo os executivos da marca japonesa, serão lançados globalmente 70 carros elétricos até 2025.

A informação vai de encontro ao que havia revelado Masahiro Inoue, presidente da Toyota para a America Latina e Caribe, na última semana de julho. Segundo ele, é certo que a empresa lance no Brasil um carro pequeno com motorização híbrida flex nos próximos meses (talvez o Yaris). Fora do Brasil, há também o conceito de SUV elétrico BZ4X, que pode chegar aos mercados aa China e do Japão a partir do final deste ano.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos