Mercado abrirá em 8 h 9 min

Torcida híbrida no futebol | BR pode liberar até 30% de torcedores nos estádios

Fidel Forato
·4 minutos de leitura

Desde o início da pandemia da COVID-19, uma série de atividades consideradas não essenciais foi paralisada, como o futebol. Conforme os números de casos do novo coronavírus (SARS-CoV-2) eram controlados em algumas regiões, mais atividades foram retomadas, como as partidas esportivas, só que com um público totalmente online. A partir de outubro, será possível assistir aos jogos das Séries A e B do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil com uma torcida híbrida, mas não em todos os estados.

Na terça-feira (22), o Ministério da Saúde aprovou o primeiro retorno parcial dos torcedores para dentro dos estádios, em território nacional. Isso porque o plano apresentado de retomada apresentado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) foi aceito, segundo a CNN. Dessa forma, os jogos poderão contar com até 30% da capacidade de torcedores.

Estádios de futebol poderão receber parte da torcida a partir de outubro (Imagem: Reprodução/ Governo do Estado de São Paulo)
Estádios de futebol poderão receber parte da torcida a partir de outubro (Imagem: Reprodução/ Governo do Estado de São Paulo)

“A abertura, em um primeiro momento, ocorrerá para até 30% da capacidade dos estádios para os torcedores (podendo ser aumentado esse percentual, em momentos posteriores), conforme decisão do gestor local, que, dentre outros aspectos, levará em consideração a variação da curva epidemiológica, a taxa de ocupação de leitos clínicos e leitos de UTI e a capacidade de resposta da rede de atenção à saúde local e regional”, detalha o Ministério da Saúde através de ofício.

Entretanto, a liberação das torcidas híbridas será limitada e restrita às condições de cada região, conforme conseguem reduzir os casos da COVID-19. Para ter a torcida presente, os clubes precisarão estabelecer protocolos com as autoridades locais “envolvendo os setores de segurança pública, saúde e outros necessários para sua implementação e fiscalização”.

“O principal objetivo é zelar pela saúde física e mental, assim como pelo bem-estar de todos os envolvidos no espetáculo, mediante o cumprimento de diretrizes das autoridades competentes”, completa o texto. Em outras palavras, uma série de medidas para evitar o contágio da COVID-19 precisarão ser tomadas tanto por parte dos times que organizam os jogos quanto pelos torcedores.

Entre os pontos estabelecidos para o retorno, estão: abertura inicial dos espectadores para a capacidade de 30% dos estádios; uso de máscara obrigatório durante as partidas; disponibilização de álcool em gel; medição de temperatura das pessoas; e distanciamento entre os ligares dos torcedores. No entanto, as medidas adotadas devem ser flexíveis e precisarão respeitar o protocolo de cada região onde são organizadas.

Futebol com público em São Paulo?

No entanto, as torcidas híbridas ainda não serão realidade no estado de São Paulo pelo menos. Nesta quarta-feira (23), o Centro de Contingência do coronavírus em São Paulo vetou o retorno parcial de público aos estádios de futebol de qualquer competição disputada por clubes ou seleções. A ação foi tomada diante do alto risco de aglomerações e disseminação do coronavírus dentro e fora de arenas nos dias de jogos.

“O Comitê concluiu que o cenário atual da pandemia no estado de São Paulo não permite a retomada de público em eventos associados a grandes aglomerações, como nas partidas de futebol de qualquer categoria. Essa é uma decisão técnica. São Paulo permanece em quarentena, recomendando insistentemente o rigor no isolamento, distanciamento social e uso de máscaras”, explicou José Medina, Coordenador do Centro de Contingência.

De acordo com as estimativas feitas a partir da proposta da CBF, os times paulistas poderiam mobilizar de 15 a 20 mil pessoas por partida. Segundo as autoridades locais, isso inviabilizaria o controle de aglomerações e o distanciamento social em ruas, estabelecimentos comerciais e espaços de alimentação em barracas de vendedores ambulantes no entorno dos estádios.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: