Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.476,40
    +534,40 (+2,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Top Gun: Maverick │Estúdio é processado por família de autor que inspirou filme

Apesar de ter se tornado um dos maiores sucessos da carreira de Tom Cruise, o novo Top Gun: Maverick também vem causando algumas dores de cabeça para a Paramount Pictures. Isso porque o estúdio está sendo processado sob a acusação de violar direitos autorais.

A ação está sendo encabeçada pela família de Ehud Yonay, jornalista da California Magazine que, em 1983, escreveu o artigo que serviu de base para a construção do roteiro do clássico Top Gun: Ases Indomáveis. E o que os familiares alegam é que a Paramount não tem mais os direitos sobre o material e que, por isso, a estreia de Maverick infringiria seria ilegal.

Filmes são inspirados em artigo feito por jornalista em 1983 (Imagem: Divulgação/Paramount Pictures)
Filmes são inspirados em artigo feito por jornalista em 1983 (Imagem: Divulgação/Paramount Pictures)

Os direitos sobre o artigo voltaram para Shosh e Yuval, viúva e filho do autor, em janeiro de 2020 — ou seja, mais de dois anos antes de Pete Maverick voltar a voar. Assim, eles alegam que o estúdio não só ignorou essa questão legal como nem sequer se preocupou em readquirir a licença para produzir a continuação.

Por conta disso, a família de Ehud Yonay entrou na justiça dos EUA pedindo uma indenização por danos financeiros, uma vez que eles consideram ter sido prejudicados pelo lançamento. Além disso, eles exigem a interrupção das exibições e da distribuição de Top Gun: Maverick, assim como qualquer outra tentativa de dar sequência à franquia.

Para a Paramount, no entanto, não há qualquer violação de direitos autorais, mas apenas um enrosco causado pelos vários adiamentos que o longa sofreu por causa da pandemia da covid-19. O estúdio alega que o lançamento original estava previsto para julho de 2019 — ou seja, antes do retorno dos direitos à família —, mas que uma sequência de eventos forçaram o longa a chegar aos cinemas somente em 2022.

Diante disso, a empresa classifica a ação dos Yonay como sem mérito e por isso vai mobilizar seu setor jurídico para defender-se das acusações.

Enquanto isso, Top Gun: Maverick segue voando alto nos cinemas. Até agora, o longa já totalizou US$ 569,6 milhões em bilheteria em todo o mundo, sendo o maior sucesso comercial da carreira de Tom Cruise.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos