Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    58.654,36
    +1.631,64 (+2,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Top 10 de janeiro evidencia vendas fracas do iPhone 12 Mini

Felipe Junqueira
·2 minuto de leitura

O tempo dos celulares compactos parece estar, de fato, no fim. A Apple buscou um novo nicho de mercado ao lançar o iPhone 12 mini com tela de 5,4 polegadas, mas o dispositivo não alcançou um bom desempenho em vendas.

De acordo com a empresa de análise de mercado Counterpoint Research, o modelo compacto da Maçã não conseguiu ficar nem mesmo no top 5 dos celulares mais vendidos em janeiro de 2021. Seus três ‘irmãos’, por outro lado, ficaram com as três primeiras posições, com o iPhone 12 em primeiro, seguido pelo 12 Pro Max e o 12 Pro em terceiro. O iPhone 11 completa a sequência de quatro aparelhos da Apple no quarto lugar.

Aí entram dois modelos da Xiaomi, o Redmi 9A e o Redmi 9, da Xiaomi, que são seguidos pelo Galaxy M21s, da Samsung, e só na oitava colocação aparece o iPhone 12 Mini. A lista ainda fecha com o Galaxy A31 e mais um celular da Apple, o iPhone SE 2020. Ou seja, seis smartphones da Maçã e quatro Android, sendo dois Xiaomi e dois Samsung.

Os 10 celulares mais vendidos no mundo em janeiro (Imagem: Reprodução/Counterpoint Research)
Os 10 celulares mais vendidos no mundo em janeiro (Imagem: Reprodução/Counterpoint Research)

Os celulares da Xiaomi pertencem à faixa de preço abaixo dos US$ 150, e atraíram consumidores principalmente na região que engloba o Oriente Médio e África. Juntos, eles respondem por um quarto do total de vendas da fabricante chinesa.

Já a Samsung apresentou bons números com seus modelos presentes no top 10 em mercados onde a Honor tinha forte presença, como Europa, América Latina, sudeste da Ásia e Oriente Médio e África. Isso faz parte da estratégia da empresa de oferecer boas especificações e design elegante nas linhas Galaxy M e A, respectivamente.

Produção reduzida

Não é novidade que o iPhone 12 Mini ficou abaixo das expectativas. Em fevereiro, fontes afirmaram que a Apple pretendia reduzir a produção da versão compacta. A mesma fonte, no entanto, havia indicado redução parecida também do iPhone 12, que já era o celular 5G mais vendido à época. Previsão recente indica que o modelo 2020 pode ultrapassar o iPhone 6 no volume total de vendas.

Os três modelos do top 3 foram responsáveis por nada menos que 71% do total de vendas da Apple no período, segundo o estudo. Os Estados Unidos foram responsáveis por quase um terço do total de celulares vendidos pela companhia, com o iPhone 12 Pro Max liderando a lista no país.

Apesar dos problemas com o iPhone de 5,4 polegadas lançado em 2020, a Apple deve lançar um sucessor em 2021.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: