Mercado fechado

TJ vai apurar conduta de desembargador que humilhou guarda municipal

Colaboradores Yahoo Notícias
·2 minuto de leitura
Homem que se apresenta como desembargador se recusa a usar máscara e humilha guarda municipal em Santos, litoral de São Paulo.
Homem que se apresenta como desembargador se recusa a usar máscara e humilha guarda municipal em Santos, litoral de São Paulo.

O TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) informou que vai apurar a conduta do desembargador Eduardo Almeida Prado Rocha de Siqueira, flagrado humilhando um guarda municipal que o abordou para aplicar multa por andar na rua sem máscara, item obrigatório em Santos (SP) em função da pandemia de coronavírus.

"Em relação ao episódio ocorrido em Santos, ontem (18), quando o desembargador Eduardo Almeida Prado Rocha de Siqueira foi multado por um guarda civil municipal por não utilizar máscara enquanto caminhava na praia, o Tribunal de Justiça de São Paulo informa que, ao tomar conhecimento, determinou imediata instauração de procedimento de apuração dos fatos", afirma a nota do TJ-SP assinada pelo presidente do tribunal, Geraldo Francisco Pinheiro Franco.

Além do TJ-SP, o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) afirmou que foi instaurado um "pedido de providências" para apurar a conduta do desembargador, conforme nota assinada pelo corregedor do órgão, ministro Humberto Martins.

Leia também

Identificado como “desembargador Eduardo Siqueira”, o homem foi flagrado confrontando o guarda. O vídeo, que viralizou nas redes sociais, mostra o agente pedindo “por favor” para o pedestre colocar a máscara, porém ele responde que o decreto, assinado pelo prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) com multa de R$ 100 a quem descumprir a regra, “não é lei”.

O guarda desce da viatura para aplicar a multa. O homem que se apresentou como desembargador respondeu que já havia recebido uma infração: "Amassei e joguei na cara dele. Você quer que eu jogue na sua também?".

O agente público continuou exercendo seu trabalho, e o pedestre sem máscara pegou o celular, indignado, dizendo que iria ligar para o secretário de Segurança de Santos, Sérgio Del Bel.

Durante o telefonema, o homem diz que está “com um analfabeto” e tenta forçar o guarda para falar ao celular, mas ele recusa.