Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    46.514,40
    -100,92 (-0,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

Título rende R$ 94 milhões ao Palmeiras e faz SBT destruir a concorrência

Jorge Nicola
·1 minuto de leitura
Palmeiras venceu Santos por 1 a 0 com gol nos acréscimos (Cesar Greco/Palmeiras)
Palmeiras venceu Santos por 1 a 0 com gol nos acréscimos (Cesar Greco/Palmeiras)

O sábado foi histórico para o Palmeiras e para o SBT. O título da Libertadores colocou o Verdão numa seleta galeria de bicampeões continentais, assegurou vaga no Mundial de Clubes e ainda assegurou R$ 94 milhões em prêmios apenas em um dia - foram R$ 82 milhões da Conmebol e mais R$ 12 milhões da Crefisa.

Com tanto dinheiro, o Palmeiras melhora consideravelmente seus problemas financeiros, causados pela pandemia do Coronavírus que impediu a entrada de uma receita de R$ 180 milhões.

Mas o SBT também se lembrará por muito tempo do dia 30 de janeiro. É que a média de audiência foi de 25 pontos, com picos de 32 pontos, só atrás da exibição do filme “Harry Potter”, que em 2004 rendeu média de 31 pontos.

O SBT liderou a audiência durante todo o confronto entre Palmeiras e Santos, e chegou a ter, nos minutos finais do segundo tempo, quase três vezes mais audiência que a Globo.

Nas principais capitais do país, a final da Libertadores também esteve à frente da Globo, com exceção ao Rio de Janeiro, com equilíbrio entre as duas emissoras.