Mercado abrirá em 2 h 38 min
  • BOVESPA

    121.113,93
    +412,93 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,04
    -0,09 (-0,14%)
     
  • OURO

    1.788,80
    +8,60 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    56.408,50
    +1.476,04 (+2,69%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.276,59
    -115,12 (-8,27%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,67 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.030,41
    +10,88 (+0,16%)
     
  • HANG SENG

    29.106,15
    +136,44 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.685,37
    +2,00 (+0,01%)
     
  • NASDAQ

    14.020,75
    -8,75 (-0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7153
    +0,0292 (+0,44%)
     

Tinder vai permitir verificação de antecedentes criminais do seu match

Alveni Lisboa
·2 minuto de leitura

Com os crescentes casos de feminicídios e agressões a mulheres, a preocupação com a segurança nas plataformas de namoro online tem sido uma constante. O Tinder e outros aplicativos pertencentes ao Match Group começarão a permitir que usuários possam verificar o histórico dos possíveis matches. Agora será possível conferir o passado daquela paquera e saber se ele ou ela tem algo a esconder.

A empresa anunciou um investimento na Garbo, uma organização sem fins lucrativos que permite a verificação de antecedentes digitando apenas o nome ou número de telefone. O valor da operação não foi divulgado, mas a ideia é que possibilite levar a tecnologia para os apps, a começar pelo mais popular: o Tinder.

A Garbo foi fundada por Kathryn Kosmides, uma sobrevivente da violência de gênero, e tem como objetivo ajudar a prevenir este tipo de crime (Imagem: Captura de tela/Canaltech)
A Garbo foi fundada por Kathryn Kosmides, uma sobrevivente da violência de gênero, e tem como objetivo ajudar a prevenir este tipo de crime (Imagem: Captura de tela/Canaltech)

A polêmica medida pode trazer mais segurança para quem usa a plataforma de namoro. A Garbo diz que coleta "registros públicos e relatórios de violência ou abuso, incluindo prisões, condenações, ordens de restrição, assédio e outros crimes violentos". Tudo isso é feito com base em "relatórios policiais, ordens de proteção/restrição e outros documentos legais que denunciam abuso, assédio ou outros crimes”.

A ONG explica que não divulga dados sobre crimes de trânsito nem porte de drogas para evitar discriminações. Além disso, tais crimes não estão atrelados a violência de gênero, que é o que preocupa a organização.

O preço do Match

O sistema de checagem não será gratuito, mas a criadora do Tinder afirma estar trabalhando para cobrar um preço acessível para a maioria dos usuários. Ainda não há detalhes se este será um recurso extra, pago por fora, ou se estará incluso nos planos de assinatura. Os desenvolvedores iniciarão os testes nos próximos meses para implementar o recurso nos Estados Unidos. Se der certo por lá, é bem provável que seja levado também para outros grandes mercados, incluindo o Brasil.

Quem vê cara, não vê coração: o Tinder sabe disso e está implantando a ferramenta de antecedentes criminais (Imagem: Divulgação/Tinder)
Quem vê cara, não vê coração: o Tinder sabe disso e está implantando a ferramenta de antecedentes criminais (Imagem: Divulgação/Tinder)

A ferramenta pode mudar a noção de anonimato que existe nos sites de namoro, afinal sempre há um temor, especialmente por parte das mulheres, sobre quem é aquela pessoa com a qual se estabelece um relacionamento. O lado positivo é que o perfil analisado não será notificado, então a verificação de antecedentes poderá ser feita sem a outra parte saber. E essa checagem pode ser o ponto de partida — ou de chegada — para um relacionamento sério.

E aí, será que a novidade vai dar match? Você se sentiria mais segura(o) sabendo que aquele date não tem antecedentes criminais?

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: