Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,66 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,39 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,46 (+0,42%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    29.312,91
    +86,86 (+0,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,77 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,56 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,19 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -40,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1528
    -0,0660 (-1,26%)
     

Tinder processa Google por "imposto" e acusa empresa de monopólio

Processo movido pela dona do Tinder contra o Google é similar ao que a Epic Games moveu contra a Apple. (Akhtar Soomro/Reuters)
Processo movido pela dona do Tinder contra o Google é similar ao que a Epic Games moveu contra a Apple. (Akhtar Soomro/Reuters)
  • Empresa de encontros usa seu próprio sistema de pagamento nos aplicativos;

  • Google ameaça expulsar da Play Store quem não usa seu sistema de pagamentos;

  • No processo, Match Group acusa Google de “monopolizar o mercado”.

O Match Group, proprietário dos aplicativos de encontros Tinder e OkCupid, entrou com uma ação contra o Google para evitar a remoção de seus aplicativos da Play Store. O grupo acusa a gigante de tecnologia de forçar os desenvolvedores a usarem seu sistema de pagamento, ameaçando remover aplicativos da Play Store caso isso não aconteça.

A empresa de encontros usa seu próprio sistema de pagamento nos aplicativos e não paga ao Google uma comissão de 30% sobre todas as transações dos usuários. A empresa acusa o Google de "monopolizar o mercado ao fornecer aos usuários apenas uma forma de pagamento em aplicativos Android”.

"Há dez anos, o Match Group fez parceria com o Google. Agora somos seus reféns. Cego pela oportunidade de obter uma fatia ainda maior dos bilhões de dólares que os usuários gastam em aplicativos Android todos os anos, o Google decidiu monopolizar o mercado", diz o processo do Match Group, que foi arquivado no Tribunal Federal do Norte da Califórnia.

Ao The Verge, Dan Jackson, porta-voz do Google, disse que "esta é apenas uma continuação da campanha de interesse próprio do Match Group para evitar pagar pelo valor significativo que eles recebem das plataformas móveis nas quais construíram seus negócios".

"Como qualquer empresa, cobramos por nossos serviços e, como qualquer plataforma responsável, protegemos os usuários contra fraudes e abusos em aplicativos", disse ele, acrescentando que os aplicativos do Match Group estão qualificados a pagarem taxa de 15%.

Briga antiga

A cobrança de taxas em cima do faturamento de aplicativos é algo comum na maior parte das empresas que possuem uma loja digital. Não só o Google faz isso na Play Store, mas a Apple também pratica a mesma medida na App Store e a Sony na PlayStation Network.

Isso gerou diversos problemas para Google e Apple, principalmente, haja vista que algumas empresas argumentaram que os custos incidentes do pagamento dessa taxa seriam inevitavelmente repassados ao consumidor. Além do Tinder, o Spotify também sinalizou que isso encarece seus serviços de assinatura em uma das plataformas.

O processo movido pela companhia dona do Tinder contra o Google é similar ao que a Epic Games moveu contra a Apple, reclamando das taxas cobradas nas transações de Fortnite. Atualmente, as duas gigantes de tecnologia estão na mira de países como Estados Unidos e Holanda a respeito das taxas cobradas em suas lojas de aplicativos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos