Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.132,20 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,62 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -0,32 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -2,20 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    36.555,08
    +1.554,41 (+4,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +76,96 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,12 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -43,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

Tim Cook vai prestar audiência em caso da Apple conta Epic Games em 2021

Wagner Wakka
·2 minuto de leitura

Tim Cook, CEO da Apple, vai participar de audiência sobre a disputa contra a Epic Games no ano que vem. A justiça da Califórnia determinou que principal executivo da Maçã apresente dados sobre a App Store, junto a Craig Federighi, vice-presidente de engenharia da companhia.

Na última movimentação do caso, a Epic Games havia pedido documentos detalhados sobre como funciona a App Store e as operações relacionadas a ela. Além disso, pediu a presenta de ambos executivos já citados em audiência. Do outro lado, a Apple informou que seria muito custoso levantar tais informações que a Epic Games exigiu. Segundo a defesa, seriam mais dados do que o necessário para o caso.

A Apple também não gostou da demanda por seus executivos, e disse que Cook só poderia participar da audiência por, no máximo, quatro horas. Também pediu para que Federighi, que comanda setores de iOS e macOS, fosse substituído por Eric Neuenshwander, o executivo que cuida diretamente da App Store.

No último dia 15 de dezembro, contudo, a corte da Califórnia decidiu que Cook e Federighi devem participar de audiência, sem limite de tempo determinado. A decisão também acatou o pedido da Epic Games, sendo que a Apple tem até 6 de janeiro para responder sob estas novas demandas.

Entenda o caso

A disputa entre as duas companhias começou em agosto de 2020, quando a Epic Games ofereceu uma forma de pagamento direto em Fortnite, tentando fugir das taxas que iOS e Android cobram na transação. Tanto Apple quanto Google consideraram a movimentação uma quebra aos termos e condições das lojas e retiraram Fortnite de suas plataformas. A Epic Games, então, processou a Apple, acusando a empresa de monopólio em sua plataforma.

Com a ação em andamento, Fortnite permanece indisponível para iOS. O game também não está na Google Play Store, mas pode ser baixado por link direto para Android, mesmo assim. A expectativa é de que o caso termine em uma audiência pública em julho do ano que vem, com Fortnite continuando banido do iOS até lá.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: