Mercado fechado

TikTok x Instagram: qual a melhor rede social para um influencer?

Nathan Vieira
·11 minuto de leitura

Se tem algo que consegue mostrar o quanto a ascensão das redes sociais revolucionou várias áreas da nossa vida. é o digital influencer. Essa carreira, relativamente nova no mercado, deixa claro que quando estamos falando de curtidas, comentários, visualizações, estamos falando do reflexo daquilo que a sociedade está acompanhando ou rejeitando. Principalmente nesse período de pandemia, as redes sociais só têm crescido. Em especial, o Instagram e o TikTok. Mas qual dessas oferece mais vantagens aos influenciadores?

É claro que uma pergunta tão subjetiva não poderia ser respondida sem uma boa análise antes, não é mesmo? Por isso, para entender um pouco melhor sobre como o mercado vê essas duas redes sociaisa, procuramos a Squid, uma empresa de marketing de influência que atua no planejamento e execução de campanhas personalizadas com influenciadores.

A Squid realizou uma pesquisa com a audiência dos influenciadores da base da empresa. No total, foram mais de 3.500 entrevistados. Neste recorte, o estudo buscava descobrir quais são as redes que as pessoas mais estão utilizando neste período. O público com menos de 16 anos é o que se destaca no uso do TikTok, com 34,2%, perdendo apenas para o Instagram, com 95,5%, e para o YouTube, 90,5%. O uso do TikTok para essa geração é superior ao Facebook (22,6%) e ao Twitter (31,2%), por exemplo.

O estudo também mostra que 21,1% do público de 16 anos até 23 anos utiliza o TikTok — um número significativo, também. Comparando o último trimestre de 2019 com o primeiro trimestre de 2020, período no qual a plataforma, de fato, viralizou, foi registrado um aumento de 600% nas propostas enviadas pelo comercial com o TikTok para as marcas. As indústrias que mais demonstraram interesse em trabalhar com TikTokers, foram varejo, aplicativos de tecnologia e alimentação.

O mesmo estudo citado acima, com a audiência dos influenciadores, apontou aumento de 90% no uso das redes sociais durante a quarentena, sendo Instagram a rede mais utilizada. Já uma pesquisa realizada pela Squid em parceria com a Kantar Ibope, a plataforma predominante em campanhas de marketing de influência é o Instagram, com 98%. Durante a pandemia, o uso de Instagram subiu consideravelmente. Outro estudo da Squid apontou que campanhas com uso do swipe up (arrasta pra cima) impacta 9 vezes mais.

Especialistas da área fazem estudo de comparação entre TikTok e Instagram (Imagem: Aaron Weiss/Unsplash)
Especialistas da área fazem estudo de comparação entre TikTok e Instagram (Imagem: Aaron Weiss/Unsplash)

Instagram x TikTok

Segundo Felipe Oliva, cofundador e CSO da Squid, o TikTok é uma rede social que privilegia o entretenimento acima de tudo, e as próprias ferramentas nativas facilitam a edição de vídeos curtos, dublagens e coreografias, por exemplo. "Porém, cada perfil e criador tem que levar em consideração sua audiência e a forma com que ela se relaciona com cada rede social. Com estes pontos claros, é hora de iniciar os testes e então medir os resultados. As próprias redes possuem ferramentas para apresentar o desempenho do que foi compartilhado. Há grandes cases no mercado, buscar referências no segmento que o criador atua pode ser um bom início para se inspirar", aponta.

Já o Instagram possui mais de um bilhão de usuários e é uma rede muito bem estabelecida no mercado e em público ativo. A rede social sempre aposta em inovação e ferramentas para otimizar o trabalho dos criadores de conteúdo e empreendedores. "Sobre as desvantagens, assim como outras redes sociais, o Instagram também está passando por polêmicas que envolvem o compartilhamento de notícias e conteúdos falsos, as fake news. Além disso, a estética criada no Instagram, do compartilhamento de um estilo de vida irreal, idealizado, trouxe um debate sobre o impacto das redes na saúde mental", explica Felipe.

Para ver ponto de vista do criador de conteúdo, Felipe conta que realizou uma pesquisa no final do ano passado com 2.400 influenciadores, focada na retirada dos likes da plataforma, que mostrou que 88% dos respondentes já haviam se sentido ansiosos com a performance de seu conteúdo. "Nesse aspecto, o próprio Instagram tem investindo em soluções para os usuários", observa.

(Imagem: energepic.com / Pexels)
(Imagem: energepic.com / Pexels)

Ele ressalta que o TikTok se mostrou um forte concorrente do Instagram por privilegiar o entretenimento ao lifestyle ideal. "O editor de vídeo do TikTok é otimizado e facilita a transformação de um clipe rápido e básico de 15 segundos em algo atraente e dinâmico. Muito mais do que uma dieta ideal, viagens e uma estética perfeita, a rede social se baseia no bom humor, na música, no entretenimento puro. Outro ponto alto do app é que pessoas que falam se relacionar com grande parte do conteúdo que está ali independente do idioma", argumenta.

Então lançamos a questão: qual dessas redes sociais é melhor para ser influencer? Para Felipe, os influenciadores devem estar onde acreditam que é o melhor lugar para se estar. "Muito mais do que estar em todas as redes, é preciso entender sua audiência, criar uma conexão real com essas pessoas e ser relevante para esse público. O criador de conteúdo precisa antes de tudo ser um consumidor de conteúdo. A grande dica é: estude as redes sociais, entenda a dinâmica que acontece ali e aí se pergunte: eu vejo meu conteúdo nesse lugar? Faz sentido eu criar um conteúdo com essa proposta, com a linguagem dessa rede?", raciocina o especialista.

A visão dos influencers

Mas vale entender o lado dos influencers, e para isso, conversamos com dois deles: Bibi Tatto (Instagram, TikTok) e Klébio Damas (Instagram, TikTok), que possuem uma forte presença nas duas redes sociais em questão.

"Eu utilizo o Instagram e o Tiktok de formas completamente diferentes. O Instagram eu uso de forma muito visual, eu vejo o feed pensando muito em foto, composições bonitas, que eu sei que vão chamar a atenção do pessoal que está rolando o feed. Os stories eu uso muito para interagir com meu público, mostrar meu dia a dia, criar um conteúdo que eles podem me conhecer como a Bianca mesmo", afirma a influenciadora. "E o TikTok é algo mais criativo, é mais interessante, que gera curiosidade", completa.

Bibi observa que o conteúdo é diferente e as estratégias também são. "Por exemplo, no Instagram eu me preocupo em postar fotos em horários específicos, que eu sei que são os horários de publicação que dão mais retorno. Já no Tiktok, eu não tenho problema com isso, porque sei que é uma ferramenta onde o seu vídeo é recomendado independente do horário que você poste. Uma estratégia no TikTok é utilizar de áudios que já estão em alta, e a gente cria algo em cima desses áudios. No Instagram você precisa criar 100% do zero e não tem essas referências", explica.

A digital influencer reconhece que, do ano passado para esse, o TikTok explodiu. "Eles reformularam completamente o aplicativo, e isso fez com que todo mundo começasse a usar, começando a enxergar o TikTok como um aplicativo que dava para gerar publicidade, conteúdo, assim como o Instagram. Acho que os influencers trouxeram muita marca para o TikTok e algumas que já conheciam o app começaram a pedir para criarmos conteúdo lá, enquanto que para outras, nós influencers começamos a sugerir como uma ferramenta também", relembra.

Bibi conta que sentiu que conseguia alguns números muito bons e isso foi mais um motivo para continuar a criar cada vez mais conteúdo na rede. "E essa é a tendência, ou seja, sempre quando nasce uma rede social que está chamando a atenção, que a gente está conseguindo atingir novos públicos, com certeza vamos começar a dar uma atenção maior, não só pelo público que já temos, como também pelo que podemos atingir. Além disso, o TikTok é uma rede social que inovou muito! Foi lá que surgiram várias ferramentas inovadoras, estimulando nossa criatividade, o que agrada muito o público", a influencer observa.

A grande vantagem no TikTok, segundo Bibi, é essa ideia de eles estarem dando oportunidades para produtores de conteúdos que acabaram de começar, que estão surgindo através do TikTok. "Hoje em dia, no Instagram, é muito difícil você crescer do zero e o processo de recomendação do TikTok é muito maior que o do Insta, então para alguém que quer crescer, o TikTok abre muito mais portas... Por outro lado, acho que o TikTok é uma ferramenta muito nova, ainda. Ele tem apenas um formato de conteúdo, apenas os vídeos. Já no Instagram, a gente tem uma variedade de coisas: feed, IGTV, Stories, Reels... são vários formatos para criar", opina.

Outro ponto apontado por Bibi é a diferença de aceitação do público perante a imagem de quem está postando conteúdo. Ela conta que, se você publicar no TikTok um vídeo de pijama, ninguém vai falar nada, o pessoal acha engraçado, e no Instagram tem aquela ideia de que para ter curtida tem que estar tudo bonito, alinhado.

No entanto, Bibi acredita que seja bem difícil escolher o melhor para ser influenciador. "Na minha experiência, eu acredito que um complementa muito o outro. Eu sinto que o TikTok é uma plataforma legal, que vai te fazer alcançar muitas pessoas, mas não é onde você mais conseguir concretizar uma base de fãs. Isso antigamente acontecia quando estávamos no YouTube, onde conseguimos fazer nossa base de fãs crescer e na época olhávamos o Instagram, que tinha acabado de começar e não parecia concretizar nosso público", reflete a criadora de conteúdo.

"Hoje em dia, isso mudou e o Insta é uma plataforma muito bacana para ter uma base de fãs. Então, eu ainda não sinto que o TikTok é um lugar que você vai ter uma base de fãs fiel, que está ali por apenas aquele seu conteúdo. Para mim, a melhor estratégia no momento seria surgir no TikTok, alcançar muitas pessoas através da plataforma e com o tempo ir conseguindo migrar seus fãs para outros aplicativos. Isso é uma tática muito importante: quanto mais você consegue espalhar seus fãs, mais você consegue explorar outras plataformas, já que eles vão estar ali com você, te apoiando. Então, no final, acredito que uma completamenta muito a outra", a influenciadora conclui.

Enquanto isso, Klébio afirma que sempre está muito disposto a se adaptar em todas as redes sociais: "No começo, eu enxergava o TikTok como uma diversão e, como não tinha a pressão de alcance e rendimento como em outras redes, eu realmente só produzia coisas que eu queria, sem obrigações de horário e frequência. Isso foi gerando o interesse das marcas. Percebo que a comunidade do TikTok é muito tranquila e isso é o que eu mais gosto".

Para ele, o grande diferencial é o algoritmo do TikTok. Klébio aponta que todas as redes sociais dão prioridade para as pessoas que você segue, mas essa nova plataforma tem como foco os vídeos virais, que estão apresentando um bom engajamento, dentro do conteúdo que você gosta. "Por exemplo, se você dá like em muitos vídeos de música, vai começar a receber cada vez mais recomendações em vídeos com esse tema e nem precisa estar seguindo as contas. Com isso, fica mais fácil das pessoas ganharem seguidores e se tornarem relevantes", explica.

@klebiodamas

eu todo dia acordando e lembrando que tenho 1,64 🤡 | manda pros amigues baixinhos ae

♬ GNÔMIO - Xaiane né

Ele menciona que em relação ao Reels do Instagram, também tem a função de mostrar as pessoas que você não segue, mas ainda não se tem o costume de usar esse recurso e ficar por horas nele. "Pode ser que as pessoas se acostumem, mas o TikTok é ainda mais forte. Para o Instagram, a principal estratégia que pode ser traçada é ganhar seguidores novos, criar conteúdo e fidelizar os fãs. Já no TikTok, a ideia é procurar fazer os vídeos virais, claro que sempre mantendo a sua essência e o seu nicho", disserta o criador de conteúdo.

Ele opina que as vantagens e desvantagens do Instagram e do TikTok são seus inversos. "O TikTok tem como maior vantagem ser muito mais fácil ganhar seguidor e fazer seus vídeos serem virais, mas a desvantagem é ser difícil de criar credibilidade, pois os vídeos podem estar soltos e a pessoa não precisa te seguir para assistir. Já o Instagram é o inverso, pois dá para você fidelizar um público, as pessoas que te seguem podem ver seu conteúdo diariamente. Porém, a desvantagem é que é mais difícil você ganhar seguidores inesperadamente, é preciso traçar uma estratégia muito boa", opina.

No entanto, sua conclusão é a mesma que a de Bibi: as plataformas se complementam. "Contudo, o Reels ainda não tem uma força de se manter por si só, pois até então não surgiu um influenciador que cresceu por lá, mas já é uma ótima oportunidade para quem produz conteúdo pelo Instagram, podendo despertar o interesse de várias marcas para ações publicitárias. Uma rede auxilia a outra e quem produz muito no TikTok está indo para o Instagram e vice-versa. Ambas conversam muito entre si e por isso vejo que tudo é válido", aponta o influenciador.

"Em que questão de marca, as duas plataformas têm gerado para mim praticamente o mesmo efeito. Como o número de seguidores é muito parecido, o retorno também acaba sendo semelhante e tenho feito com a mesma frequência ações tanto em uma quanto na outra. Apesar disso, é importante destacar que no Instagram há várias formas de se trabalhar com publicidade (stories, feed e Reels) e no TikTok só tem uma maneira, que é através do viral", Klébio conclui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: