Mercado abrirá em 6 h 33 min

TikTok vai banir arrecadação de fundos para políticos

O TikTok ameaçou banir qualquer campanha de arrecadação de fundos para políticos organizada pela rede social. A iniciativa segue a linha restritiva de conteúdos eleitorais adotada para evitar fake news e manipulações da opinião pública usando influenciadores digitais da plataforma.

Em postagem no blog do oficial do TikTok, o presidente de soluções de negócios globais, Blake Chandlee, disse que serão desativados todos os recursos de publicidade e monetização relacionados a políticos ou partidos. Estão inclusos na conta presentes enviados e gorjetas, inclusive em lives de terceiros, cujo propósito seja financiar campanhas.

Mesmo com restrições a temas políticos, o TikTok ainda é muito usado por candidatos e influenciadores (Imagem: Captura de tela/Alveni Lisboa/Canaltech)
Mesmo com restrições a temas políticos, o TikTok ainda é muito usado por candidatos e influenciadores (Imagem: Captura de tela/Alveni Lisboa/Canaltech)

Contas oficiais pertencentes a governos, autoridades políticas, parlamentares, candidatos e partidos precisam solicitar verificação da rede social. A medida é necessária para identificar possíveis descumprimentos das regras, que podem levar a penalidades como o banimento, e perfis falsos que se passam por outras pessoas. Isso deve ser obtido graças a um somatório entre a inteligência artificial do app e a moderação humana.

“Ao proibir a captação de recursos de campanha e limitar o acesso aos nossos recursos de monetização e verificação de contas, pretendemos encontrar um equilíbrio entre permitir que as pessoas discutam os problemas relevantes para suas vidas e, ao mesmo tempo, proteger a plataforma criativa e divertida que nossa comunidade deseja”, explicou Chandlee.

Combate à politização do TikTok

O TikTok já havia proibido a compra de anúncios por políticos, seja para impulsionar conteúdo, seja para guiá-los para seus websites externos. O objetivo é garantir a integridade eleitoral, sem permitir desinformação ou pagamentos a influenciadores para postar conteúdos políticos.

A empresa também disse que começaria a publicar conteúdos educacionais para criadores e empresas de marketing digital não serem penalizados ao se posicionar politicamente. Outra promessa é a rotulagem de vídeos que contém informações eleitorais falsas ou não confirmadas, como já ocorre em posts do Twitter e do Facebook.

O aviso chega algumas semanas antes das eleições dos Estados Unidos, programadas para novembro, mas poderá ser aplicado para outros países, inclusive o Brasil. A publicidade política é vedada no TikTok desde 2019, mas não é difícil encontrar vídeos curtos e lives explorando temáticas eleitorais.

Aqui no país, a rede ainda é vista como algo muito atrelado aos jovens, portanto os aspirantes a políticos ainda estão usando-a pouco, mas nos Estados Unidos o movimento é muito mais forte. A estratégia de banir tudo relacionado à política também desestimula muitos candidatos, que temem serem suspensos da rede.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: