Mercado abrirá em 6 h 59 min

TikTok ultrapassa a marca de 1,5 bilhão de downloads

Rafael Rodrigues da Silva

O TikTok, aplicativo chinês para postagem de vídeos curtos, ultrapassou a marca de 1,5 bilhão de downloads no fim do terceiro semestre deste ano. A informação foi divulgada pela empresa de análise de mercado SensorTower, e esse número soma tanto os downloads feitos através da Play Store, do Google, quanto pela App Store, da Apple.

A empresa ainda revela que, só neste ano, o aplicativo da chinesa ByteDance já foi baixado 614 milhões de vezes, o que significa um aumento de 6% em relação à quantidade de downloads ao fim do terceiro trimestre do ano passado. Além de alcançar a marca de 1,5 bilhão de downloads no geral, a empresa ainda revela que, no mesmo período deste ano, o TikTok também superou a marca de 655 milhões de download únicos - o que quer dizer que a empresa tem cerca de 655 milhões de usuários que utilizaram o app ao menos uma vez.

Neste anos, os únicos aplicativos que foram baixados mais do que o TikTok foram o WhatsApp (com 707 milhões de downloads) e o Messenger (com 636 milhões de downloads).

Número de downloads mundiais do TikTok desde o primeiro trimestre de 2017 até o terceiro trimestre de 2019 (Imagem: SensorTower)

A ByteDance tem apostado cada vez mais em expandir o aplicativo para mercados fora da China, e tem criado ferramentas que interessam aos usuários globais, como a possibilidade de se colocar uma URL na bio e o banimento de qualquer propaganda política nos países da União Europeia e nos Estados Unidos.

Além disso, a empresa também lançou um programa inovador de educação digital na Índia, chamado EduTok, que tem o objetivo de ensinar os primeiros passos da vida online para aqueles que estão acessando a internet pela primeira vez. Essa atenção especial para o país tem um motivo: dos mais de 1,5 bilhões de downloads do TikTok, cerca de um quarto deles (mais precisamente 468 milhões) são provenientes da Índia, que se tornou o principal mercado do aplicativo ao lado da China.

Quem tem se preocupado com o crescimento do TikTok é o Facebook, que tem implementado (ou copiado?) algumas novidades no Instagram, como forma de tentar fazer com que os usuários não abandonem as redes sociais da marca pelo app chinês. Uma dessas ferramentas é o “Cenas”, que foi introduzida esta semana e está sendo testada aqui no Brasil. Mas, por enquanto, não há nenhum indício de que o Facebook conseguirá recuperar os usuários que perdeu para o TikTok.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: