Mercado abrirá em 3 h 23 min
  • BOVESPA

    126.003,86
    +951,08 (+0,76%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.897,79
    +629,34 (+1,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,89
    -0,02 (-0,03%)
     
  • OURO

    1.797,80
    -1,40 (-0,08%)
     
  • BTC-USD

    37.304,68
    -921,50 (-2,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    884,37
    -31,12 (-3,40%)
     
  • S&P500

    4.422,30
    +10,51 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    35.144,31
    +82,76 (+0,24%)
     
  • FTSE

    6.970,14
    -55,29 (-0,79%)
     
  • HANG SENG

    25.086,43
    -1.105,89 (-4,22%)
     
  • NIKKEI

    27.970,22
    +136,93 (+0,49%)
     
  • NASDAQ

    15.082,75
    -35,00 (-0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1014
    -0,0089 (-0,15%)
     

TikTok: negros norte-americanos boicotam a plataforma; saiba porquê

·4 minuto de leitura
TikTok: negros norte-americanos boicotam a plataforma; saiba porquê
TikTok: negros norte-americanos boicotam a plataforma; saiba porquê

O TikTok está sendo acusado de prejudicar o trabalho de criadores de conteúdo negros. A plataforma passou a ser boicotada por muitos influenciadores que se sentem lesados. A principal acusação é de que a página “Para você” privilegia vídeos produzidos por pessoas brancas.

As críticas não são de hoje. No ano passado, depois de muitas reclamações, a rede social chinesa chegou a emitir um comunicado em junho, se comprometendo em fazer da plataforma um ambiente seguro e inclusivo para todos os usuários. Apesar disso, os criadores negros dizem que pouca coisa mudou.

Recentemente, usuários negros do TikTok se recusaram a fazer coreografias para a música “Thot Shit”, da rapper Megan Thee Stallion. A reivindicação por trás da recusa é de que os passos criados por negros muitas vezes não são creditados ou ainda são creditados para pessoas brancas. Apesar de não de não ser organizado formalmente por nenhum grupo, o movimento ganhou força.

Os protestos ficaram ainda maiores depois que a tiktoker branca Addison Rae esteve no programa do Jimmy Fallon, nos EUA, e ensinou algumas coreografias famosas da rede social. No entanto, todas essas danças foram criadas por negros no TikTok e os créditos não foram dados na ocasião. Depois das reclamações, a emissora onde o show é apresentado convidou os criadores originais para participarem da atração.

Leia mais!

“Sou um criador de conteúdo no TikTok há cerca de nove meses e nesse curto período, vi inúmeros vídeos/danças/ideias criadas por negros roubadas e reaproveitadas sem o devido crédito ser dado. O problema está muito além do escopo de desafios de dança e continua desde o início da viralidade desse aplicativo”, disse o TikTok Erick Louis à Vogue.

Essa semana, o criador Ziggi Tyler relatou que teve diversos vídeos removidos do TikTok. As publicações continham termos como “pro-Black”, “Black Lives Matter”, “Black success” e “Black people”. Frases que ficaram marcadas durante os protestos contra a morte de George Floyd, nos Estados Unidos. As palavras foram consideradas “inadequadas” ou “proibidas”. No entanto, o site NME destacou que termos como ““neo-Nazi”, “pro-white” e “white supremacist” não são removidos.

Em resposta, o TikTok informou que “reconhecemos e pedimos desculpas por quão frustrante foi vivenciar isso e nossa equipe corrigiu este erro significativo. Para ser claro, o ‘Black Lives Matter‘ não viola nossas políticas e atualmente tem mais de 27 bilhões de pontos de vista sobre isso em nossa plataforma“.

TikTok. Imagem: Shutterstock
TikTok. Imagem: Shutterstock

Criadores negros no TikTok

O jornal The Washington Post, entrevistou uma série de criadores negros do TikTok, que aderiram ao boicote contra a rede social. As principais críticas são sobre a plataforma não se esforçar para combater o roubo de conteúdo negro e ainda privilegiar a exibição de criadores brancos.

“O problema é que, se alguém vê apenas criadores brancos fazendo movimentos de dança de pessoas negras e nunca são mostrados as pessoas que criaram a dança, então eles nem vão saber sobre esses criadores [negros]. Então é aí que eu sinto que o problema surge. Não é culpa do público porque eles não sabem o que fazer, mas ao mesmo tempo é tipo, você tem que parar de exagerar se eles não estão fazendo nada”, explicou o tiktoker Noah Webster.

“Meu vídeo será excluído imediatamente se eu disser certas palavras. O TikTok excluiu minha conta duas vezes em dois meses. E eu realmente não sei por que cada vez que eles o deletaram. (…) Eles devolveram as duas vezes. Mas ainda é o fato de que eles o deletaram”, completou ainda o criador Theo Wisseh.

Sobre a repercussão, Webster diz que, a julgar pela grande adesão e pela reação da plataforma, os criadores negros estão sendo ouvidos. No entanto, isso não quer dizer que as coisas realmente vão mudar em breve. “Uma coisa que aprendi é que nossa voz é forte e que estamos sendo ouvidos porque somos extremamente valiosos nessa equação. Somos nós que estamos criando o conteúdo, apresentando as tendências que estão tornando esses aplicativos e essas pessoas tão populares. Então, acho que só precisamos mostrar um pouco mais de respeito no futuro neste jogo, porque isso só mostra como podemos facilmente encerrar tudo isso se precisarmos”, finalizou.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos