Mercado abrirá em 9 h 11 min
  • BOVESPA

    113.583,01
    +300,34 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.598,53
    +492,82 (+0,96%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,24
    +0,79 (+1,05%)
     
  • OURO

    1.750,20
    -1,80 (-0,10%)
     
  • BTC-USD

    42.561,46
    -1.487,09 (-3,38%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.053,93
    -47,59 (-4,32%)
     
  • S&P500

    4.443,11
    -12,37 (-0,28%)
     
  • DOW JONES

    34.869,37
    +71,37 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.063,40
    +11,92 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    24.584,87
    +376,09 (+1,55%)
     
  • NIKKEI

    30.139,65
    -100,41 (-0,33%)
     
  • NASDAQ

    15.164,25
    -30,50 (-0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2919
    -0,0149 (-0,24%)
     

Tiktok mira YouTube e pode permitir vídeos com mais tempo de duração

·2 minuto de leitura

Não faz muito tempo que o TikTok começou a permitir vídeos com até três minutos de duração para oferecer mais versatilidade aos criadores de conteúdo. Agora, mesmo antes das pessoas se acostumarem com isso, a companhia estudaria dar um passo extra.

Segundo o especialista em mídias sociais Matt Navarra, a rede social chinesa iniciou testes para permitir vídeos com até cinco minutos de duração. Navarra usou seu perfil no Twitter para compartilhar um print de tela que mostra um alerta do TikTok sobre a potencial mudança. Veja:

O comunicado diz o seguinte: "Envie vídeos de até 5 minutos de seu dispositivo. Certifique-se de usar a versão mais recente do TikTok antes de experimentar o recurso em seu aplicativo ou tiktok.com"

Até o momento, a plataforma não deu qualquer declaração pública sobre a intenção de expandir o limite de tempo dos vídeos. Não está claro ainda se isso seria no mesmo formato atual ou se havia algum novo formato diferenciado, específico para vídeos maiores, como ocorre com o IGTV do Instagram, por exemplo.

Briga com o Google?

Pelo que parece, a busca da plataforma seria por rivalizar com outro serviço velho conhecido do mercado: o YouTube. Os chineses aproveitariam a onda de popularidade do app para tentar abocanhar uma fatia do mercado amplamente dominado pelo serviço do Google. Ontem, a gigante de Mountain View divulgou dados impressionantes sobre o repasse da verba publicitária aos youtubers: cerca de R$ 150 bilhões em três anos, o que dá uma média anual de R$ 25 mil por parceiro.

Em dezembro, o Tiktok passou o limite de 30 para 60 segundos, um saldo considerado ousado na época. Em julho, para atender a demanda de segmentos específicos, ampliou o limite máximo para três minutos. Com cinco minutos, a experiência de vídeos curtos seria definitivamente prejudicada, o que poderia afastar usuários e criadores de conteúdo.

Você concorda com a expansão no tempo dos vídeos da rede social? Use o campo de comentários e deixe a sua opinião.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos