Mercado fechado

TikTok foi mais baixado que o Facebook e o Messenger em 2019

Claudio Yuge

O TikTok está dominando o mundo. O app chinês, que nasceu como uma rede social para compartilhamento de vídeos musicais efêmeros, vem aumentando as funcionalidades da plataforma e conquistou os adolescentes no seu país de origem. Agora, vem se espalhando pelo mundo todo — inclusive em outras faixas etárias. Sua invasão assustou até mesmo o Exército e a Marinha dos Estados Unidos, que baniram o software sob acusação de espionagem. Nem isso impediu-o de ser o segundo app mais baixado do mundo em 2019, com nada menos que 700 milhões de downloads.

Os dados são da empresa Sensor Tower, que aponta o TikTok como o aplicativo mais baixado na App Store no ano passado. Na Play Store, ele ficou na vice-liderança, atrás do WhatsApp. Para ter uma ideia, na soma da App Store com a Play Store em 2019, o TikTok, com cerca de 750 milhões de downloads, superou ninguém menos que o Facebook e o Facebook Messenger.

Imagem: Divulgação/Sensor Tower

O TikTok ficou atrás somente do WhatsApp, que soma 850 milhões de downloads no mesmo período. Um dos países que mais ajudaram a empresa chinesa foi a Índia. No total, o aplicativo já foi baixado mais de 1,5 bilhão de vezes e pertence à empresa chinesa ByteDance, atualmente a startup mais valiosa do mundo.

Essa popularidade toda levou o TikTok a sair da 118ª posição entre as maiores receitas de apps que não são games para a 7ª colocação ao final da temporada passada, com quase US$ 40 milhões de receita em dezembro — isso o colocou à frente de aplicativos peso-pesados como Disney+, Youku e Hulu.

Imagem: Divulgação/Sensor Tower

Governo dos Estados Unidos segue barrando o app

Mesmo com todos esses números, o TikTok está sob crescente escrutínio nos últimos meses. O governo dos Estados Unidos acredita que a Huawei e a ByteDance, dona do app, ameaçam a segurança nacional e a privacidade dos usuários. Um processo de ação coletiva proposto na Califórnia alega que o aplicativo vem coletando ilegalmente, e secretamente, dados sensíveis dos consumidores e enviando-os para a China.

Essas suspeitas não o levaram a uma lista restritiva, como no caso da Huawei, mas o Exército norte-americano proibiu seu o uso em telefones do governo, seguindo uma orientação do Pentágono. Anteriormente, a Marinha já havia barrado o TikTok em dispositivos móveis das Forças Armadas dos EUA.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: