Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    48.351,81
    +69,34 (+0,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Tidal ganha plano gratuito com anúncios

·3 min de leitura

O Tidal passará a oferecer um serviço gratuito com anúncios na tentativa de expandir sua base de usuários nos Estados Unidos. Essa adição oferecerá acesso à biblioteca completa do serviço, com cerca de 80 milhões de músicas, bem como listas de reprodução. Segundo a companhia, a ideia é garantir a competitividade com os rivais, em especial o Spotify, que também dispõe de um modelo gratuito com propagandas entre as faixas.

Por ser uma versão grátis, há certas limitações no uso, como a qualidade do áudio, fixada em 160 kbps, a falta de opção de ouvir offline e um número limitado de avanços de músicas nas playlists. Hoje, além do Tidal e do Spotify, mais outros três concorrentes tem planos free: Amazon Music, Deezer e YouTube Music.

A empresa também anunciou a chegada do plano Tidal HiFi, com alta qualidade sonora, por um custo mensal de US$ 10 (R$ 16,90 aqui no Brasil). Quem assinar esse plano poderá ouvir faixas com até 1.411 kbps de qualidade, sem anúncios, com acesso a mais de 350 mil vídeos e suporte a outros dispositivos conectados por meio do Tidal Connect, com a opção de rastrear e compartilhar o que estão ouvindo em um feed de atividades.

Há também o plano HiFi Plus, que custa o dobro do valor nos EUA e R$ 33,80 no Brasil, mas oferece áudios de qualidade ainda maiores (9.216 kbps) e suporte a formatos de áudio mais imersivos, como o Dolby Atmos e Sony 360 Reality Audio, bem como acesso antecipado a recursos em fase de testes.

Ajuda a cantores e bandas

O Plus também tem novos recursos voltados para artistas: é possível, agora, efetuar o pagamento direto ao músico — 10% da taxa de assinaturas de um usuário HiFi Plus será destinado ao artista que ele mais escuta. Somado aos tradicionais royalties regulares do serviço de streaming, ajudam a compor uma renda extra para os profissionais da música e possibilitam ao ouvinte ajudar o artista favorito.

Segundo o Tidal, esse sistema de pagamento de artistas deve pagar valores bem mais elevados do que os rivais por cada vez que o usuário HiFi Plus escutar uma de suas canções. Para efeito de comparação, a Apple Music paga cerca de um centavo de dólar por transmissão, enquanto o Spotify remunera bem menos do que isso.

Os próprios usuários terão controle de quanto foi destinado a cada artista por meio do seu feed de atividades, o que lhes permitirá definir se desejam enviar mais dinheiro para um do que para outro. A companhia promete pagamentos mais rápidos para artistas em todo mundo via Square, Cash App e Paypal.

O plano free será lançado inicialmente para Android e deve chegar aos demais dispositivos nos "próximos dias". Até agora, não há informações sobre a chegada dessas novas modalidades no Brasil, mas é possível que não leve muito tempo, tendo em vista o tamanho do mercado e o potencial de alcance.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos