Mercado fechará em 6 h 38 min
  • BOVESPA

    109.551,85
    +437,70 (+0,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.808,56
    -587,38 (-1,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,19
    +1,48 (+1,93%)
     
  • OURO

    1.644,90
    +11,50 (+0,70%)
     
  • BTC-USD

    20.209,10
    +1.129,95 (+5,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,03
    +28,93 (+6,68%)
     
  • S&P500

    3.655,04
    -38,19 (-1,03%)
     
  • DOW JONES

    29.260,81
    -329,60 (-1,11%)
     
  • FTSE

    7.019,81
    -1,14 (-0,02%)
     
  • HANG SENG

    17.860,31
    +5,17 (+0,03%)
     
  • NIKKEI

    26.571,87
    +140,32 (+0,53%)
     
  • NASDAQ

    11.484,75
    +168,50 (+1,49%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1285
    -0,0509 (-0,98%)
     

Thor: Amor e Trovão estreia no Disney+ nesta quinta (8)

A espera acabou: Thor: Amor e Trovão finalmente chega ao Disney+ nesta quinta-feira (08), marcando a estreia do mais recente capítulo do Universo Cinematográfico da Marvel (MCU, na sigla em inglês) no streaming. Com isso, todos os assinantes vão poder assistir ao retorno do Deus do Trovão em sua aventura mais caótica.

A data foi escolhida para coincidir com o Disney+ Day, dia que a empresa dedica à plataforma e serve como uma maneira de mostrar as vantagens do serviço. No ano passado, a Marvel já tinha adotado uma estratégia semelhante com Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis.

Curiosamente, forçar o lançamento de Thor: Amor e Trovão com o Disney+ Day quebrou uma das principais vantagens do streaming: o curto período entre a estreia de um filme no cinema e sua chegada no formato digital. Na grande maioria dos casos, essa janela é de 45 dias. Contudo, com o longa protagonizado por Chris Hemsworth, esse tempo foi de quase 60 dias.

O que é Amor e Trovão

Se você viveu exilado em algum dos Nove Reinos e não faz ideia do que se trata Thor: Amor e Trovão, saiba que não é preciso muito esforço para entender. O novo filme do MCU segue a mesma fórmula adotada em Thor: Ragnarok para trazer uma aventura leve e muito mais voltada para a comédia nonsense do que para o drama épico, como nos primeiros filmes do personagem.

Na trama, Thor (Hemsworth) segue em jornada pelo espaço ao lado dos Guardiões da Galáxia, mas sem um propósito em sua vida. No entanto, isso muda quando ele descobre que deuses de todo o universo estão sendo mortos por uma criatura chamada Gorr, o Carniceiro dos Deuses (Christian Bale). Assim, ele se une com a rei Valquíria (Tessa Thompson) e a Jane Foster (Natalie Portman) para enfrentar esse novo vilão.

Repare no bração (Imagem: Divulgação/Marvel Studios)
Repare no bração (Imagem: Divulgação/Marvel Studios)

O destaque aqui é justamente o retorno de Portman ao elenco depois de abandonar o MCU após Thor: Mundo Sombrio. E ela volta não mais como a namorada do herói, mas como uma personagem porradeira de verdade. O longa adapta parte do arco de quadrinhos em que ela se transforma na Poderosa Thor e, com isso, vemos a cientista empunhando o Mjölnir e indo para a luta com os braços musculosos.

Em termos de trama, Thor: Amor e Trovão não é a produção mais inspirada do MCU. Em nossa crítica, apontamos justamente como ele é um filme divertido, mas que deixa claro que não quer se comprometer com nada e que, por isso, torna tudo banal e sem profundidade. Embora renda ótimas risadas, sua história tem pouco impacto tanto para o MCU como um todo quanto para o próprio Deus do Trovão.

Ainda assim, é uma ótima maneira de se reconectar ao MCU. Até porque ele faz conexões bem interessantes com o que ainda está por vir e introduz personagens e tramas que serão exploradas no futuro — e tudo no jeito caótico do diretor Taika Waititi.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: