Mercado abrirá em 9 h 14 min
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,35 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,07
    +0,43 (+0,60%)
     
  • OURO

    1.775,00
    +6,00 (+0,34%)
     
  • BTC-USD

    34.814,47
    -885,59 (-2,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    863,05
    -76,89 (-8,18%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,32 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.422,78
    -378,49 (-1,31%)
     
  • NIKKEI

    27.980,87
    -983,21 (-3,39%)
     
  • NASDAQ

    13.996,75
    -38,25 (-0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0006
    -0,0355 (-0,59%)
     

Texas autoriza bancos a oferecerem custódia de criptomoedas

·2 minuto de leitura
BTC, ETH, XRP, DIA, DASH, ATOM, WAVES: análise técnica em 17 de junho

O Departamento de Bancos do Texas autorizou que bancos licenciados pelo estado possam oferecer aos seus clientes serviços de custódia de moedas virtuais.

O anúncio especifica que os bancos poderiam realizar essas operações, desde que tenham protocolos adequados em vigor. Segundo o comunicado, estes protocolos devem gerir riscos de maneira eficaz e cumprir as leis aplicáveis. A autoridade bancária também apontou que um código de finanças existente já habilitava tecnicamente o serviço de custódia de criptoativos.

Moedas virtuais

A autoridade bancária definiu moedas virtuais como “uma representação eletrônica de valor destinada a ser usada como meio de troca, unidade de conta ou reserva de valor”. Ela também observou que esses ativos não existem fisicamente, mas apenas em uma blockchain ou livro-razão distribuído associado a eles.

A entidade do Texas definiu o proprietário da moeda virtual como a pessoa que possui as chaves criptográficas para a carteira digital que armazena o ativo. Essa definição é importante em relação ao tipo de serviços que os bancos podem prestar a esses proprietários.

Por exemplo, os bancos podem permitir que os clientes mantenham o controle direto de sua moeda virtual ou simplesmente armazenem cópias de suas chaves privadas. Por outro lado, os bancos podem exigir que os clientes transfiram seus ativos diretamente para o controle do banco. Isso envolveria a criação de novas chaves privadas que seriam mantidas pela instituição em nome dos seus clientes.

Status fiduciário

Com relação aos serviços de custódia, a autoridade bancária determinou que os bancos licenciados pelo Estado podem oferecê-los em caráter fiduciário ou não fiduciário. Por exemplo, no caso não fiduciário, o banco atuaria como um depositário. Isso significa que, embora possua o ativo do cliente para custódia, a titularidade legal desse ativo permaneceria com o cliente.

Já se um banco oferece serviços de custódia na qualidade de fiduciário, ele deve receber poderes de confiança. A autoridade bancária admite que isso pode exigir uma alteração do seu regulamento. Semelhante a outros ativos, os bancos com autoridade fiduciária podem gerenciar moedas virtuais de seus clientes.

Por fim, a autoridade bancária observa a natureza técnica distintiva das moedas virtuais em relação a outros ativos. Os bancos podem, portanto, optar por complementar seus serviços de custódia com a ajuda de prestadores de serviços experientes neste mercado.

Esses bancos naturalmente teriam que fornecer um programa de supervisão em relação a esses provedores de serviços de custódia externos. A alternativa poderia beneficiar vários desses provedores de serviços, reforçando a indústria cripto local como um todo.

O artigo Texas autoriza bancos a oferecerem custódia de criptomoedas foi visto pela primeira vez em BeInCrypto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos