Mercado abrirá em 1 h 47 min
  • BOVESPA

    112.282,28
    +2.032,55 (+1,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.338,34
    +510,21 (+1,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,73
    -0,50 (-0,69%)
     
  • OURO

    1.774,90
    -3,90 (-0,22%)
     
  • BTC-USD

    43.676,44
    +1.578,75 (+3,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.094,67
    +54,19 (+5,21%)
     
  • S&P500

    4.395,64
    +41,45 (+0,95%)
     
  • DOW JONES

    34.258,32
    +338,48 (+1,00%)
     
  • FTSE

    7.092,79
    +9,42 (+0,13%)
     
  • HANG SENG

    24.510,98
    +289,44 (+1,19%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.247,50
    +84,00 (+0,55%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1946
    -0,0142 (-0,23%)
     

Testes mostram que nova versão do PS5 roda mais frio que o original

·3 minuto de leitura

Uma das vítimas da atual escassez de semicondutores, a Sony vem trabalhando para atender à alta demanda que o PS5 apresenta. O aparelho, que já passou a trazer lucro para a gigante japonesa, apresenta uma marca respeitável de vendas e, diante disso, recebeu silenciosamente uma versão revisada, cuja diferença mais notável é a redução de 300 gramas no peso.

Testes iniciais levantaram preocupações ao comprovarem uma redução no tamanho do sistema de resfriamento e possíveis problemas em sua eficiência. Felizmente, análises mais aprofundadas indicaram que, na verdade, a versão revisada é curiosamente superior ao modelo original, mesmo com as diminuições.

Testes aprofundados mostram superioridade do novo PS5

Diante das dúvidas geradas com as descobertas feitas na nova versão do PS5, o canal HardwareBusters partiu em busca de uma unidade para avaliar se de fato as modificações afetariam o desempenho do aparelho. Com o console em mãos, foram realizados análises mais aprofundadas que mediram, através de sensores especiais, as temperaturas atingidas pelos componentes internos, incluindo CPU e GPU, memórias, VRM e mais.

Mesmo com o dissipador menor, o PS5 revisado consegue manter as temperaturas da CPU significativamente menores que o modelo antigo, em uma diferença de 10 °C (Imagem: Reprodução/Igor's Lab)
Mesmo com o dissipador menor, o PS5 revisado consegue manter as temperaturas da CPU significativamente menores que o modelo antigo, em uma diferença de 10 °C (Imagem: Reprodução/Igor's Lab)

Antes de revelar os resultados, foi comprovado que tanto o modelo com leitor de discos quanto o modelo sem o componente serão atualizados para a nova versão, e que de agora em diante todas as unidades a chegarem ao mercado contarão com as modificações. O canal então explica o método utilizado para verificar eventuais diferenças.

Entre as técnicas, estão inclusas medições da velocidade da ventoinha e o consumo. Os resultados surpreendem: a unidade revisada opera com temperaturas mais baixas nos componentes, e expele mais calor. Segundo as medições, o chip pode chegar a operar até 10 °C mais frio, uma diferença bastante significativa. A equipe destaca, porém, que o ideal é que mais unidades fossem submetidas ao teste para que essa variação fosse comprovada.

Ainda de acordo com os dados, as memórias da unidade revisada rodam mais quentes — cerca de 48 °C, contra algo em torno de 40 °C no modelo antigo —, mas reforça-se que as temperaturas da CPU e GPU são mais importantes. Na área do exaustor, as temperaturas também estão mais altas, o que no fim das contas é um bom sinal, reforçando que o dissipador está expelindo mais calor e é mais eficiente.

Para que as melhorias sejam definitivamente comprovadas, mais testes devem ser realizados. Ainda assim, considerando a metodologia robusta utilizada por HardwareBusters, já é possível dizer que a versão revisada do PS5 não é pior, mas sim mais eficiente.

Entenda o caso

Através de certificações emitidas por órgãos de países como Austrália e Japão, descobriu-se que a Sony trouxe ao mercado um novo modelo de PS5 com peso 300 gramas menor. Para conferir o que estava acontecendo, o YouTuber Austin Evans importou uma unidade da versão revisada e realizou alguns testes superficiais, medindo as temperaturas do exaustor e o consumo.

Ao desmontar o aparelho para avaliar o que havia de diferente, Evans se deparou com um dissipador de calor significativamente menor, feito na maior parte de alumínio, em vez do cobre predominante na variante original.

O criador de conteúdo sugeriu, dessa maneira, que o desempenho térmico do novo modelo pudesse ser pior, o que gerou preocupação internet afora. Sabe-se que outros canais estão preparando testes completos do console modificado, que devem ir ao ar nos próximos dias.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos