Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.064,36
    +1.782,08 (+1,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.464,27
    +125,93 (+0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    +1,00 (+1,38%)
     
  • OURO

    1.739,40
    -39,40 (-2,21%)
     
  • BTC-USD

    44.647,50
    +1.191,33 (+2,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.119,07
    +10,15 (+0,92%)
     
  • S&P500

    4.448,98
    +53,34 (+1,21%)
     
  • DOW JONES

    34.764,82
    +506,50 (+1,48%)
     
  • FTSE

    7.078,35
    -5,02 (-0,07%)
     
  • HANG SENG

    24.510,98
    +289,44 (+1,19%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.301,75
    +138,25 (+0,91%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2246
    +0,0158 (+0,25%)
     

Testes iniciais de desempenho de apps de Android no Windows 11 são animadores

·2 minuto de leitura

Com a proximidade da chegada do subsistema do Android para Windows 11, as pessoas começaram a ficar ansiosas e os primeiros testes de desempenho já pipocam na web. Os apps vão rodar dentro de um subsistema baseado em Linux, que já existe para Windows 10, adaptado para suportar arquivos APK. Como funcionará como uma espécie de emulação, sempre fica aquela dúvida: "será que vai rodar liso ou haverá problemas de compatibilidade"?

A Microsoft não compartilhou nenhuma informação técnica oficial sobre o desempenho e nem liberou ferramentas para experimentos iniciais. Contudo, alguns usuários já deram um jeito de adentrar no subsistema e conseguir realizar alguns experimentos de benchmark. O usuário do Twitter @AlurDesign publicou no seu perfil oficial a pontuação obtida em testes preliminares:

Os resultados são bem divergentes entre si: cerca de 820 pontos para aplicações rodando em apenas um núcleo de processamento e cerca de 3 mil para múltiplos núcleos. Se o resultado ficar mais parecido com o topo, significa que o Windows teria um desempenho equivalente a celulares com o Qualcomm Snapdragon 865, considerado um dos mais tops de linha que embarca celulares como o Samsung Galaxy S20, OnePlus 8, OPPO Find X2 Pro e vários modelos de 2020.

Essa variação, contudo, é preocupante porque deixa as pessoas sem saber o que esperar de fato. O usuário do Twitter não especificou as condições em que realizou o teste nem as configurações do seu hardware, mas isso pode não ser tão relevante tendo em vista se tratar de uma emulação.

O surgimento do aplicativo na Microsoft Store deixou os fãs esperançosos (Imagem: Reprodução/Microsoft)
O surgimento do aplicativo na Microsoft Store deixou os fãs esperançosos (Imagem: Reprodução/Microsoft)

Os resultados também causam alguma estranheza em determinados aspectos, como o fato de dispositivos com 12 núcleos de processamento ter pontuação inferior a outro com oito núcleos apenas — pode ser algum bug ou falta de otimização. Por enquanto, fica a expectativa de que o subsistema seja devidamente construído para entregar um desempenho bom não somente em desktops de última geração, mas também em notebooks ou ultrabooks, com configurações mais modestas.

Só será possível ter detalhes mais concretos quando a Microsoft liberar os testes para inscritos no programa Windows Insiders. A única certeza é que a emulação de apps de Android não estará disponível no lançamento do Windows 11,

marcado para 5 de outubro

, conforme já dito pela companhia.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos