Mercado abrirá em 4 h 9 min

Testes em massa no Reino Unido devem ser ampliados, diz assessor

Emily Ashton
·3 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O plano do Reino Unido para testes em massa com o objetivo de detectar e conter a propagação de novas variantes do coronavírus provavelmente não funcionará a menos que seja conduzido em uma escala maior, disse um assessor científico do governo britânico.Mike Tildesley, acadêmico da Universidade de Warwick que aconselha o governo Boris Johnson sobre estratégias para a pandemia, disse que as autoridades deveriam “lançar a rede um pouco mais além” para detectar casos e garantir que as pessoas com coronavírus fiquem em casa.Os testes em massa estão sendo ampliados para áreas nos arredores de Manchester, noroeste da Inglaterra, na tentativa de controlar a propagação de novas variantes que podem se mostrar resistentes às vacinas, disse o Departamento de Saúde na segunda-feira. Essas áreas se somam a outras oito na Inglaterra, onde são realizados testes em unidades móveis e visitas porta a porta de profissionais de saúde.

Johnson insistiu que está “muito confiante” de que as vacinas usadas no Reino Unido são eficazes contra a variante sul-africana. Mas dados preliminares mostraram que a vacina Oxford-AstraZeneca tem eficácia limitada contra casos leves e moderados. Não foram divulgados resultados específicos para casos mais graves.

Embora apenas 147 casos confirmados da variante da África do Sul tenham sido identificados no Reino Unido, o número real deve ser muito maior porque, até a semana passada, menos de 10% dos testes de coronavírus positivos foram sequenciados para detectar a cepa.Tildesley disse que os testes em massa precisam ser em escala maior, até porque muitos casos só aparecem alguns dias após a infecção. “Meu temor é de que não seja eficaz”, disse em entrevista. “A menos que você faça testes com cobertura um pouco maior, é muito difícil de capturar.”

Isolamento

A atenção está voltada para o sistema de teste e rastreamento do Reino Unido, orçado em 22 bilhões de libras (US$ 30 bilhões), à medida que as infecções continuam a cair em todo o país como resultado do terceiro lockdown nacional. Como um número crescente de britânicos vacinados, testes em massa eficazes são cruciais para que autoridades possam localizar novos surtos, rastrear os contatos de casos positivos e assegurar que fiquem em casa.

Tildesley disse que a chave é garantir que as pessoas se isolem adequadamente. Dido Harding, chefe do programa de testes e rastreamento, disse ao Parlamento na semana passada que pelo menos 20 mil pessoas por dia não seguiam as restrições.

“Sabemos que isso tem sido um problema, que apenas uma proporção relativamente pequena de pessoas tem cumprido o período de isolamento completo de 10 dias”, disse Tildesley.

Ele disse que o governo precisa incentivar o isolamento. Algumas pessoas de baixa renda podem estar recebendo o pagamento de 500 libras do estado para o isolamento, mas “ainda não aderiram porque, na verdade, ainda não podem se dar ao luxo de não trabalhar por 10 dias”, disse.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.