Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.095,53
    +537,86 (+0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.056,27
    +137,99 (+0,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,57
    +0,21 (+0,29%)
     
  • OURO

    1.785,50
    0,00 (0,00%)
     
  • BTC-USD

    50.654,45
    -58,54 (-0,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.327,38
    +22,26 (+1,71%)
     
  • S&P500

    4.701,21
    +14,46 (+0,31%)
     
  • DOW JONES

    35.754,75
    +35,32 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.337,05
    -2,85 (-0,04%)
     
  • HANG SENG

    23.996,87
    +13,21 (+0,06%)
     
  • NIKKEI

    28.906,01
    +45,39 (+0,16%)
     
  • NASDAQ

    16.376,75
    -15,50 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2799
    +0,0058 (+0,09%)
     

Testes de câmera do Xiaomi 11T Pro mostram desempenho pior que seu antecessor

·3 min de leitura

O Xiaomi 11T Pro chegou ao mercado em setembro deste ano com especificações bastante avançadas e conjunto de câmeras liderado por um sensor de 108 MP, tendo ainda uma câmera ultrawide de 8 MP e uma macro de 5 MP. Um teste produzido pelo portal DxOMark mostra que o dispositivo é capaz de oferecer alta qualidade em fotos e vídeos, mas ainda apresenta alguns problemas específicos que fizeram ele receber uma pontuação final menor do que seu antecessor, o Mi 10T Pro.

Fotos com mais saturação e ruído

A principal falha apontada pelo DxOMark é a falta de uma lente telefoto, já que o zoom oferecido pelo Xiaomi 11T Pro é feito digitalmente por meio da câmera principal, com auxílio de um algoritmo para melhorar as características da imagem aproximada. Porém, o sensor primário é capaz de oferecer boas fotos, principalmente sob luz natural e durante o dia.

Xiaomi 11T Pro (à esquerda) tem imagem mais saturada do que o Mi 10T Pro (à direita) (Imagem: DxOMark)
Xiaomi 11T Pro (à esquerda) tem imagem mais saturada do que o Mi 10T Pro (à direita) (Imagem: DxOMark)

Nessas condições, o aparelho traz grande alcance dinâmico, boa precisão de cores (inclusive em tons de pele) e níveis de saturação mais altos do que o seu antecessor, a um ponto que pode até se considerado pouco natural, dependendo da foto.

Ambos os aparelhos trazem bons resultados à luz do dia (Imagem: DxOMark)
Ambos os aparelhos trazem bons resultados à luz do dia (Imagem: DxOMark)

Em determinadas condições, as câmeras poderão ter uma perda significativa de nitidez e textura, com níveis piores do que o Mi 10T Pro — a granulação também é mais perceptível no aparelho mais recente, até mesmo ao ar livre. Além disso, o recorte de camadas para o modo retrato é menos preciso que o modelo anterior, com algumas falhas na detecção de distãncia dos objetos.

Xiaomi 11T Pro (à esquerda) apresenta mais granulação do que Mi 10T Pro (à direita) (Imagem: Captura de tela/DXOMARK)
Xiaomi 11T Pro (à esquerda) apresenta mais granulação do que Mi 10T Pro (à direita) (Imagem: Captura de tela/DXOMARK)
Xiaomi 11T Pro (à esquerda) traz recortes menos naturais do que o Mi 10T Pro (à direita) (Imagem: DxOMark)
Xiaomi 11T Pro (à esquerda) traz recortes menos naturais do que o Mi 10T Pro (à direita) (Imagem: DxOMark)

Durante a noite, as diferenças entre as duas gerações são menos visíveis, mas de acordo com as imagens publicadas pelo DxOMark, o Xiaomi 11T Pro oferece fotos um pouco mais escuras. Portanto, as seções mais iluminadas da imagem têm menos propensão para a superexposição, mas as sombras tendem a perder nitidez de forma mais frequente.

Xiaomi 11T Pro (à esquerda) tem fotos noturnas menos expostas do que o Mi 10T Pro (à direita) (Imagem: DxOMark)
Xiaomi 11T Pro (à esquerda) tem fotos noturnas menos expostas do que o Mi 10T Pro (à direita) (Imagem: DxOMark)

As imagens capturadas na câmera ultrawide perdem uma quantidade significativa de nitidez, o que é esperado quando se considera a grande diferença de características em relação ao sensor principal. Nesse caso, o Xiaomi 11T Pro também se sai pior do que seu antecessor, e no geral o aparelho fica atrás também de concorrentes de outras marcas.

Diferrença de nitidez é visível entre o Xiaomi 11T Pro (à esquerda) e o Mi 10T Pro (à direita) (Imagem: Captura de tela/DxOMark)
Diferrença de nitidez é visível entre o Xiaomi 11T Pro (à esquerda) e o Mi 10T Pro (à direita) (Imagem: Captura de tela/DxOMark)
O mesmo acontece para fotos em ambientes internos (Imagem: Captura de tela/DxOMark)
O mesmo acontece para fotos em ambientes internos (Imagem: Captura de tela/DxOMark)

Qualidade de vídeo foi melhorada

Se as fotos capturadas pelo Xiaomi 11T Pro decepcionam em comparação com o Mi 10T Pro, a qualidade de vídeo recebeu um salto de qualidade. Quando posicionado de frente a uma fonte de luz, ele é capaz de expor a imagem de forma mais precisa e condizente com as informações mais importantes em cena — apesar disso, o alcance dinâmico é limitado.

Xiaomi 11T Pro (à esquerda) apresenta melhor exposição que o Mi 10T Pro (à direita) (Imagem: DxOMark)
Xiaomi 11T Pro (à esquerda) apresenta melhor exposição que o Mi 10T Pro (à direita) (Imagem: DxOMark)

Além disso, o balanço de branco está mais preciso em diversas condições, e portanto a imagem final apresenta tons mais naturais e bonitos. O foco automático é rápido e costuma ser correto na maioria das tentativas, apesar de mostrar erros ocasionais. As texturas apresentam nível de qualidade similar ao modelo antecessor, e a estabilização é eficiente para movimentos menos bruscos, mas não consegue compensar perfeitamente as tremidas mais intensas.

Balanço de brancos é mais acertado no Xiaomi 11T Pro (à esquerda) (Imagem: DxOMark)
Balanço de brancos é mais acertado no Xiaomi 11T Pro (à esquerda) (Imagem: DxOMark)

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos