Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.451,20
    +74,85 (+0,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.442,21
    +436,10 (+0,97%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,88
    +3,38 (+4,31%)
     
  • OURO

    1.668,50
    +32,30 (+1,97%)
     
  • BTC-USD

    19.677,26
    +650,67 (+3,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    447,10
    +18,32 (+4,27%)
     
  • S&P500

    3.719,04
    +71,75 (+1,97%)
     
  • DOW JONES

    29.683,74
    +548,75 (+1,88%)
     
  • FTSE

    7.005,39
    +20,80 (+0,30%)
     
  • HANG SENG

    17.250,88
    -609,43 (-3,41%)
     
  • NIKKEI

    26.173,98
    -397,89 (-1,50%)
     
  • NASDAQ

    11.539,25
    +205,50 (+1,81%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2340
    +0,0741 (+1,44%)
     

Teste criado por startup mostra nível de risco a empresas contra ciberataques

·1 min de leitura

A Unxpose, startup de segurança digital para empresas, lançou nesta quarta-feira (1°) um teste online e gratuito para avaliar os potenciais riscos de uma companhia em relação a possíveis ciberataques. A ferramenta chega em um momento importante, com um aumento intenso de ransomwares (sequestros de dados) no Brasil, sendo o caso da Renner só o mais recente.

Para começar o teste, a Unxpose pede alguns dados da empresa, como nome e sobrenome da pessoa, e-mail corporativo para analisar o domínio (nome de site da companhia), nome, telefone e quantidade aproximada de funcionários da companhia. Em seguida, um relatório é enviado por e-mail detalhando o score de exposição do grupo, com notas para a vulnerabilidade de domínio, do site e da equipe. O conteúdo é gerado com um algoritmo proprietário.

"Nós estamos constantemente calibrando o algoritmo para que a nota seja um retrato preciso da exposição de uma empresa", afirmou Josemando Sobral, CEO da Unxpose, ao site Exame.

O teste é basicamente uma amostra da solução completa de cibersegurança da empresa, que monitora e identifica falhas de segurança e vazamentos de dados de forma contínua. Além do score de exposição, que é atualizado em tempo real, ela mapeia a defesa de servidores, subdomínios, aplicações web e em nuvem. Ainda oferece tutoriais para os funcionários protegerem os dados.

O ataque ransomware à Renner em agosto paralisou parte dos sistemas da rede lojista, incluindo o site oficial, o e-commerce e serviços de pagamento. Ele afetou até o funcionamento das lojas físicas. A situação perdurou por quatro dias, quando todas as plataformas foram restabelecidas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: