Mercado abrirá em 9 h 45 min

Tesouro Direto tem resgate líquido de R$ 1,14 bilhão em agosto

Estevão Taiar
·2 minutos de leitura

Número é resultado de resgates de R$ 3,36 bi e aplicações de R$ 2,22 bi; único título com rentabilidade no mês foi Tesouro Selic 2025 O Tesouro Direto, sistema de compra e venda de títulos públicos pela internet direcionado à pessoa física, encerrou agosto com resgate líquido de R$ 1,14 bilhão. O número foi resultado de resgates de R$ 3,36 bilhões e aplicações de R$ 2,22 bilhões, segundo divulgado nesta sexta-feira pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN). Ao todo, foram realizadas 419.578 operações no mês passado. O valor médio das operações foi de R$ 5.295,77, enquanto aquelas no valor de até R$ 1 mil representaram 66,48% do total. Os títulos mais demandados foram os indexados à Selic, que somaram R$ 825,05 milhões, ou 37,13% do total. Na sequência, vieram: Tesouro IPCA (R$ 582,4 milhões ou 26,2%); Tesouro prefixado (R$ 394,3 milhões ou 17,7%); Tesouro IPCA com juros semestrais (R$ 282,9 milhões ou 12,7%); Tesouro prefixado com juros semestrais (R$ 137,3 milhões ou 6,2%). Nos resgates antecipados, os títulos indexados somaram R$ 1,11 bilhão (56,62%). Em relação ao prazo, a maior parcela de vendas se concentrou nos títulos com vencimento entre um e cinco anos, alcançando 41,87% do total. As aplicações com vencimento acima de dez anos representaram 28,93%, enquanto os títulos com vencimento entre cinco e dez anos corresponderam a 29,20%. “O total de investidores ativos no Tesouro Direto, isto é, aqueles que atualmente estão com saldo em aplicações no programa, atingiu a marca de 1.344.655 pessoas em agosto de 2020, um aumento de 19.740 investidores no mês”, disse a STN. “Já o número de investidores cadastrados no programa cresceu em 315.683, ou 4,06% na comparação com julho de 2020, atingindo a marca de 8.096.273 pessoas.” O único título com rentabilidade no mês foi o Tesouro Selic 2025, com alta de 0,12%. Os demais tiveram todos desempenho negativo. “No que se refere à rentabilidade acumulada em doze meses, destaque para o título Tesouro Prefixado 2023, que obteve alta de 12,29%”, afirmou. Por fim, o estoque do Tesouro Direto fechou agosto em R$ 61,23 bilhões, queda de 1,20% em relação ao mês anterior. “Os títulos remunerados por índices de preços se mantêm como os mais representativos do estoque, somando R$ 29,55 bilhões, ou 48,27% do total”, disse. “Na sequência, vêm os títulos indexados à taxa Selic, totalizando R$ 19,90 bilhões (32,50%), e os títulos prefixados, que somaram R$ 11,78 bilhões, com 19,24% do total.” Marcos Santos/USP Imagens