Mercado abrirá em 9 h 44 min
  • BOVESPA

    116.134,46
    +6.097,67 (+5,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.429,75
    +802,95 (+1,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,70
    +0,07 (+0,08%)
     
  • OURO

    1.705,60
    +3,60 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    19.555,11
    +388,66 (+2,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    444,59
    +9,23 (+2,12%)
     
  • S&P500

    3.678,43
    +92,81 (+2,59%)
     
  • DOW JONES

    29.490,89
    +765,38 (+2,66%)
     
  • FTSE

    6.908,76
    +14,95 (+0,22%)
     
  • HANG SENG

    17.079,51
    -143,32 (-0,83%)
     
  • NIKKEI

    26.840,75
    +624,96 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    11.365,25
    +79,50 (+0,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0763
    +0,0024 (+0,05%)
     

Tesla ordena que vídeos que mostram falhas em piloto automático sejam tirados do ar

Tesla pede que comerciais que mostram falha de seu piloto automático em reconhecer crianças seja retirado do ar
Tesla pede que comerciais que mostram falha de seu piloto automático em reconhecer crianças seja retirado do ar
  • Comerciais mostram piloto automático da Tesla atingindo manequins de crianças;

  • Montadora afirma que vídeos são "provavelmente fraudulentos";

  • Testes foram realizados por ONG de segurança no trânsito.

No fim de semana, o bilionário Elon Musk elencou um time de advogados para tentar tirar do ar vídeos de veículos da Tesla atropelando manequins de crianças, realizados pelo canal Dawn Project, grupo em defesa da segurança no trânsito.

O vídeo é uma crítica ao sistema de "piloto automático" da montadora americana, que deveria ser capaz de identificar as crianças e parar o carro. A Tesla, que divulga o modo como "Full Self-Driving", ou "Auto-Direção Completa" em português, afirma que a ferramenta não substitui um motorista, e que este deve ficar atento e pronto para realizar qualquer manobra ou parada.

Os vídeos, que já haviam sido publicados no canal do YouTube de Dan O'Down, fundador da Dawn Project, foram agora exibidos em diversos canais televisivos dos Estados Unidos, país que conta com cerca de 100 mil donos de Teslas.

Em resposta, a montadora de Elon Musk recorreu ao sistema judiciário americano, alegando que tanto a ONG quanto seu fundador "desprezaram os interesses comerciais da Tesla e divulgaram informações difamatórias ao público", conforme documento revelado pela Dawn Project.

De acordo com a montadora de veículos elétricos, os testes realizados "provavelmente são fraudulentos" e "deturpam as capacidades da tecnologia da Tesla". A Dawn Project defendeu seus vídeos, afirmando que são "completamente legítimos e não enganosos".

Há duas semanas, Omar Qazi, um influenciador fã da Tesla, resolveu realizar seus próprios testes, utilizando crianças reais. Nos vídeos publicados em seu canal do YouTube, os carros da Tesla realmente identificam e param antes de atropelar as crianças. No entanto, os vídeos foram feitos dirigindo o veículo a uma velocidade de até 16 km/h, enquanto os testes do Dawn Project chegam a velocidades de 64 km/h.