Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.877,70
    -53,10 (-2,75%)
     
  • BTC-USD

    23.431,59
    -243,76 (-1,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Tesla diz para funcionários não discutirem salário e infringe leis trabalhistas

A Tesla está sendo acusada de violar as leis trabalhistas nacionais por, supostamente, instruir os funcionários para não falar sobre pagamentos, condições de trabalho e rescisão de funcionários para terceiros ou entre si. Segundo o portal de notícias Bloomberg, o Conselho Nacional de Relações Trabalhistas (NLRB) em Tampa entrou com uma reclamação oficial em setembro.

A reportagem afirma que a Tesla “disse aos funcionários para não reclamarem com os gerentes de nível superior sobre seu pagamento ou outras condições de emprego” e para "não discutir seu pagamento com outras pessoas". Os incidentes citados pela denúncia ocorreram de dezembro de 2021 a janeiro de 2022 e violam leis que impedem as empresas de "interferir, restringir e coagir os funcionários no exercício dos direitos garantidos" pela legislação.

A porta-voz da NLBR, Kayla Blado, deu uma declaração à Bloomberg dizendo que o juiz ouvirá os argumentos apresentados pela denúncia durante uma audiência em fevereiro. Esta não é a primeira vez que a NLBR realiza reclamações contra a Tesla. Em agosto, o Conselho decidiu que a política de código de vestimenta da Tesla é ilegal por proibir logotipos sindicais.

A agência também forçou Elon Musk, CEO da montadora, a excluir um tweet antissindical em 2021 e determinou que a demissão do ativista Richard Ortiz era ilegal. No início de dezembro, dois funcionários da Tesla com sede na Califórnia apresentaram queixas ao órgão sobre alegações de que a empresa os demitiu ilegalmente por criticar Musk.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: