Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    50.987,29
    +3.304,89 (+6,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,51 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

Terremoto deixa ao menos 42 mortos e 15 mil desabrigados na Indonésia

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um terremoto de magnitude 6.2 na ilha de Sulawesi, na Indonésia, nesta quinta-feira (14), matou pelo menos 42 pessoas, feriu mais de 820 e obrigou outras 15 mil a deixarem suas casas. As autoridades alertaram para o risco de que novos tremores provoquem um tsunami. Mais de 300 casas, além de dois hotéis e a residência oficial de um governante regional, sofreram danos significativos nas cidades de Mamuju e Majene que, juntas, têm cerca de 170 mil habitantes. Ao menos dez pessoas ficaram presas nos escombros de um hospital, informou o responsável pelo serviço local de socorros à agência de notícias AFP. "O hospital está destruído. Desabou. Há pacientes e funcionários presos", disse. O terremoto foi sentido fortemente por cerca de sete segundos, mas não disparou um alerta de tsunami —de acordo com o Instituto de Geofísica dos Estados Unidos, o epicentro estava a 18 km de profundidade e ocorreu às 2h18 desta sexta (15h18 de quinta, no horário de Brasília). Segundo a chefe a Agência de Meteorologia e Geofísica da Indonésia, Dwikorita Karnawati, são esperados tremores secundários, com a possibilidade de que um novo seja forte o suficiente para provocar um tsunami. A agência registrou 26 tremores secundários em um período de 24 horas —eles causaram deslizamentos de terra, interromperam o fornecimento de energia elétrica e destruíram pontes que ligam as cidades aos centros regionais. Mais cedo nesta quinta, outro terremoto de magnitude 5.8 já havia atingido a região, sem causar danos significativos. Vídeos nas redes sociais mostram moradores fugindo em motos para regiões mais altas e uma criança presa sob os escombros enquanto pessoas tentavam remover os destroços com as mãos. O presidente do país, Joko Widodo, expressou solidariedade às vítimas e seus familiares em uma declaração publicada em vídeo, aconselhando as pessoas a manterem a calma e pedindo que as autoridades intensifiquem as operações de busca e resgate. A Indonésia fica na região conhecida como Círculo de Fogo do Pacífico, com intensa atividade sísmica devido ao encontro entre placas tectônicas, que é regularmente atingida por terremotos. Em 2018, um terremoto devastador de magnitude 6.2, seguido por um tsunami, atingiu a cidade de Palu, também em Sulawesi, matando mais de 4.000 pessoas. A Indonésia também foi o mais afetado entre os 14 países atingidos por um tsunami provocado pelo terremoto de magnitude 9.1 em 2004. A tragédia provocou mais de 230 mil mortes.