Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,31 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -908,97 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,29
    -0,61 (-0,70%)
     
  • OURO

    1.836,10
    -6,50 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    34.552,44
    -3.525,66 (-9,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,86
    +628,18 (+258,85%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,02 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.411,00
    -430,00 (-2,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1900
    +0,0599 (+0,98%)
     

Terra esteve o mais próximo possível do Sol nesta terça-feira (4)

·2 min de leitura

A Terra atingiu seu ponto mais próximo do Sol nesta terça-feira (4), evento conhecido como periélio. No periélio, o Sol parece 3,6% maior e cerca de 7% mais brilhante do que no afélio, quando o planeta alcança sua máxima distância do astro.

Por volta das 3h52 (horário de Brasília) desta terça, a Terra ficou a 147,1 milhões de km de distância do Sol — em média, ela se encontra 149,5 milhões de km de distância. Já no afélio, que acontece em julho, Terra e Sol ficam 152,1 milhões de km longe um do outro.

Nenhum desses eventos é responsável pelas estações do ano, pois estas ocorrem por conta da inclinação do eixo do planeta. Ainda assim, periélio e afélio podem refletir na duração delas. Quando mais próxima do Sol, a Terra se desloca mais rapidamente em sua órbita e o verão no hemisfério Sul dura cinco dias a mais.

Movimento planetário

Essa relação entre distância do Sol e o movimento orbital da Terra é fundada nas observações do astrônomo Johannes Kepler, que, no século XVII, percebeu que os planetas viajam pelo Sistema Solar em um movimento elíptico e não um círculo perfeito.

Periélios em verde e afélios em vermelho dos planetas rochosos do Sistema Solar, mas o mesmo acontece em todos os outros (Imagem: Reprodução/Domínio Público)
Periélios em verde e afélios em vermelho dos planetas rochosos do Sistema Solar, mas o mesmo acontece em todos os outros (Imagem: Reprodução/Domínio Público)

Basicamente, quando um planeta está mais próximo do Sol, ele se desloca com mais rapidez em sua órbita e, quando afastado, mais devagar. Posteriormente, as observações de Kepler foram amadurecidas pela teoria da relatividade geral apresentada por Albert Einstein.

Segundo Walter Petersen, físico e pesquisador do Marshall Space Flight Center da NASA, mesmo considerando a diferença de distância entre afélio e periélio, existe apenas uma variação média global de 7% da energia solar recebida. Por isso, em termos de clima, os eventos não exercem influência.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos