Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.227,09
    +94,56 (+0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.412,47
    +211,88 (+0,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,92
    -0,79 (-1,73%)
     
  • OURO

    1.813,40
    +2,20 (+0,12%)
     
  • BTC-USD

    17.152,53
    -826,64 (-4,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    335,96
    -34,56 (-9,33%)
     
  • S&P500

    3.629,65
    -5,76 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    29.872,47
    -173,77 (-0,58%)
     
  • FTSE

    6.362,93
    -28,16 (-0,44%)
     
  • HANG SENG

    26.819,45
    +149,70 (+0,56%)
     
  • NIKKEI

    26.537,31
    +240,45 (+0,91%)
     
  • NASDAQ

    12.163,00
    +10,75 (+0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3396
    +0,0019 (+0,03%)
     

Terapia online e happy hour virtual: empresas cuidam dos funcionários na pandemia

Colaboradores Yahoo Finanças
·3 minuto de leitura
Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

O coronavírus transformou as relações de trabalho com a migração em massa para o home office e afetou o relacionamento entre colegas, que agora só interagem virtualmente. Para garantir o engajamento da equipe mesmo à distância, as empresas estão organizando ações como happy hour virtual, game night entre os colaboradores (que jogam de casa), comemorações de aniversário por vídeo e oferecem terapia online para garantir a saúde mental.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

A pesquisa Gestão de Pessoas na Crise de Covid-19, da FIA (Fundação Instituto de Administração), mostra que 75% das empresas desenvolveram ações de apoio psicológico para os funcionários.

A Contabilizei, empresa de contabilidade online com 400 funcionários, faz parte dessa estatística. Ela passou a oferecer terapia online para todos os colaboradores logo no início da pandemia, e a procura surpreendeu Michele Heerman, gerente de pessoas e cultura da empresa.

“Tivemos 47% de adesão dos colaboradores, foi uma ação muito assertiva. No início, as pessoas estavam bastante assustadas, sofrendo com a instabilidade de não saber como as coisas seriam e quando voltariam ao normal, além do medo do vírus. Agora dá para perceber que mudaram as preocupações, não é mais a ansiedade e o medo inicial, é sobre como se organizar dentro dessa nova realidade”, afirma.

Como manter a rotina

Uma das estratégias das empresas para diminuir a pressão sobre os empregados e facilitar a adequação ao “novo normal” é manter os rituais que já existiam antes, adaptando-os para os meios virtuais.

Happy Hour virtual da Contabilizei (Foto: Divulgação)
Happy Hour virtual da Contabilizei (Foto: Divulgação)

Isso vale para as rotinas de trabalho, como reuniões de equipe, avaliação de desempenho e feedback, e também para os momentos de descontração, segundo Melissa Guimarães, diretora de recursos humanos do Olist, startup de comércio eletrônico com quase 450 funcionários.

“A manutenção dos rituais é importante para manter a proximidade, fazer com que as pessoas vejam que a roda continua girando, que o emprego delas permanece, para elas sentirem o mínimo de falta possível da rotina anterior", indica a especialista de RH.

Encontros virtuais para integração

Na Mobills, startup de gestão de finanças pessoais, iniciativas que antes aconteciam presencialmente, como ginástica laboral, game night, comemoração de aniversários e happy hours, agora migraram para o ambiente online. Além de manter a comunicação entre as pessoas, elas têm o papel de ajudar na integração dos novos contratados durante a pandemia.

“Acompanhamos os resultados por meio da pesquisa de satisfação e pelo engajamento nos eventos. Nos happy hours, a participação chega a 100%. A gente percebe que as pessoas estão sentindo falta de um contato mais próximo”, afirma Mikaelly Ribeiro, líder de RH da Mobills.

Pelo menos por enquanto, esses colegas de trabalho vão ter que se contentar apenas com o contato virtual. Isso porque, na Mobills, a volta ao escritório está prevista só para o ano que vem. E muitas empresas devem seguir esse caminho.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube