Mercado fechará em 13 mins
  • BOVESPA

    110.527,07
    +1.683,33 (+1,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.851,36
    +293,71 (+0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,51
    +0,22 (+0,31%)
     
  • OURO

    1.775,80
    +12,00 (+0,68%)
     
  • BTC-USD

    42.310,31
    -1.466,97 (-3,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.050,33
    -13,52 (-1,27%)
     
  • S&P500

    4.364,74
    +7,01 (+0,16%)
     
  • DOW JONES

    33.997,91
    +27,44 (+0,08%)
     
  • FTSE

    6.980,98
    +77,07 (+1,12%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.839,71
    -660,34 (-2,17%)
     
  • NASDAQ

    15.085,50
    +76,00 (+0,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1968
    -0,0479 (-0,77%)
     

Tenor pernambucano Marcelo Cabral de Mello faz sucesso na web cantando clássicos românticos e música regional

·2 minuto de leitura

Nos últimos anos, o Instagram ganhou força como plataforma de divulgação das artes em geral. Muitos músicos encontraram na ferramenta uma boa maneira de expandir seus trabalhos. É o caso do pernambucano Marcelo Cabral de Mello, cuja formação é de tenor, mas que vem encantando seus seguidores ao interpretar clássicos do pop romântico, como "You're So Beautiful", e do regional, como "Festa do Interior".

Em alguns vídeos, inclusive, ele é acompanhado por sua companheira, a harpista Priscila Gama. É a prova de que a boa música, hoje em dia, pode estar ao alcance de um clique. "Tenho seguidores da Itália, da Inglaterra e de outros países por onde estudei e cantei. A internet diminuiu bastante essas distâncias", conta Marcelo em conversa com o EXTRA.

Confiram algumas performances do cantor:

Natural de Recife, Marcelo Cabral de Mello é mestre em música pela Universidade Federal da Paraíba e bacharel em jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco. Foi também aluno do BA Music da University of Bristol, no Reino Unido, e estudou harmonia e arranjo com Thales Silveira. Atua como músico, produtor cultural, compositor, arranjador, cantor, pesquisador e engenheiro de som.

Participou de óperas, como "O Cientista" (2007), sob regência do compositor Silvio Barbato; "Dido & Aeneas" (2009), sob regência de Marcelo Fagerlande; "O Barbeiro de Sevilla" (2010), sob regência de John Neschling e Victor Hugo Toro; "Gianni Schicchi" (2013), sob regência de Linus Lerner; e "Les Plaisirs de Versailles" (2014), sob regência de Laurence Pottier.

Participou também dos grupos corais Opus 2 e Contracantos (UFPE), com os quais estreou obras suas, e de diversos projetos de música orquestral, de câmara, e popular, tendo, mais recentemente, se apresentado na Casa Museo Boschi di Stefano, em Milão, com a harpista Priscila Gama.

Como produtor cultural, esteve à frente do projeto "Mariza Johnson 80 anos", em homenagem à violoncelista que foi destaque na música armorial. Como pesquisador, realizou um estudo sobre a Orquestra Criança Cidadã, que resultou em sua dissertação de mestrado em 2012. Gravou, como engenheiro de som, os álbuns "Afluências" (2017), do duo Paula Bujes e Pedro Huff, e "Continent(e)s" (2018), do Duo Colibri.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos