Mercado abrirá em 1 h
  • BOVESPA

    122.515,74
    +714,95 (+0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.869,48
    +1,16 (+0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,37
    +0,11 (+0,15%)
     
  • OURO

    1.812,40
    -9,80 (-0,54%)
     
  • BTC-USD

    38.495,73
    -1.077,19 (-2,72%)
     
  • CMC Crypto 200

    934,15
    -26,74 (-2,78%)
     
  • S&P500

    4.387,16
    -8,10 (-0,18%)
     
  • DOW JONES

    34.838,16
    -97,31 (-0,28%)
     
  • FTSE

    7.112,16
    +30,44 (+0,43%)
     
  • HANG SENG

    26.194,82
    -40,98 (-0,16%)
     
  • NIKKEI

    27.641,83
    -139,19 (-0,50%)
     
  • NASDAQ

    14.978,00
    +25,25 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1723
    +0,0282 (+0,46%)
     

"Tendência perigosa": OMS alerta população para mistura de vacinas diferentes

·1 minuto de leitura

A Organização Mundial de Saúde (OMS), na última segunda-feira (12), fez um alerta às pessoas que estão combinando vacinas contra a COVID-19 de diferentes fabricantes. Soumya Swaminathan, cientista-chefe da organização, diz que a tendência é perigosa, visto que é preciso obter mais dados para avaliar os possíveis impactos da mistura para a saúde.

"Vai ser uma situação caótica nos países se os cidadãos decidirem quando e quem irá tomar uma segunda, terceira e quarta dose", disse a cientista. Em junho, o Grupo Consultivo Estratégico De Especialistas em Imunização (SAGE), que pertence à OMS, revelou que a vacina da Pfizer poderia ser usada como uma segunda dose após a aplicação da primeira dose da AstraZeneca.

<em>Imagem: Nelsonart/Envato Elements</em>
Imagem: Nelsonart/Envato Elements

Além disso, um ensaio clínico diferente, dessa vez liderado pela Universidade de Oxford, está em andamento para verificar a mistura das doses da AstraZeneca com a Pfizer, e da Moderna com a Novavax. Sendo assim, a OMS diz que os dados disponíveis ainda são poucos e que é preciso aguardar novos estudos sobre essas combinações não só na questão de imunogenicidade, como na de segurança.

Por fim, a OMS diz que a decisão de fazer a combinação de doses da vacina contra a COVID-19 de diferentes fabricantes cabe às autoridades públicas de saúde, com base em dados científicos disponíveis, e não a cada indivíduo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos