Mercado fechado

Temer é ouvido como informante em ação por improbidade contra Geddel

André Guilherme Vieira

O ex-presidente é ouvido por videoconferência na Justiça Federal de São Paulo O ex-presidente Michel Temer (MDB) é ouvido como informante em ação na esfera cível a que o ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB) é réu por improbidade administrativa na Justiça Federal de Brasília.

Ruy Baron/Valor/Arquivo

Em 2016, o então ministro da Cultura, Marcelo Calero, acusou Geddel de pressioná-lo a liberar uma obra em Salvador (BA), embargada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) — órgão vinculado ao Ministério da Cultura. Na ocasião, Calero pediu demissão, e a polêmica decorrente do assunto levou Geddel a deixar o cargo.

Em 2018, a juíza Diana Wanderlei, da 5ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal, aceitou abertura de ação proposta pelo Ministério Público Federal (MPF) e tornou Geddel Vieira Lima réu por improbidade administrativa.

Temer é ouvido por videoconferência na Justiça Federal de São Paulo. Como informante ele não tem a obrigação de falar a verdade, diferentemente de quem é ouvido como testemunha de acusação.