Mercado fechará em 4 h 25 min
  • BOVESPA

    109.949,78
    -238,79 (-0,22%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.020,65
    +221,19 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,80
    +0,55 (+0,74%)
     
  • OURO

    1.791,50
    +9,10 (+0,51%)
     
  • BTC-USD

    16.865,88
    -151,04 (-0,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    395,78
    -6,25 (-1,55%)
     
  • S&P500

    3.944,31
    +3,05 (+0,08%)
     
  • DOW JONES

    33.608,68
    +12,34 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.519,50
    -1,89 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.814,82
    -626,36 (-3,22%)
     
  • NIKKEI

    27.686,40
    -199,47 (-0,72%)
     
  • NASDAQ

    11.508,75
    -57,25 (-0,49%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0153 (+0,28%)
     

Telescópio James Webb investiga planeta em busca de vida alienígena

Telescópio James Webb investiga planeta em busca de vida alienígena (Foto: Getty Images)
Telescópio James Webb investiga planeta em busca de vida alienígena (Foto: Getty Images)
  • O planeta é um astro semelhante a Saturno, a 700 anos-luz de distância do Sol;

  • As medições do Telescópio Espacial James Webb permitiram aos astrônomos testar métodos para detectar vida alienígena;

  • O planeta WASP-39b orbita uma estrela na constelação de Virgem.

Atualmente, o planeta mais bem explorado fora de nosso sistema solar é um astro semelhante a Saturno, a 700 anos-luz de distância do Sol. Agora, as medições do Telescópio Espacial James Webb da atmosfera deste exoplaneta revelaram detalhes sem precedentes de sua química e até permitiram aos astrônomos testar métodos para detectar vida alienígena.

O planeta WASP-39b, que orbita uma estrela na constelação de Virgem, ganhou notoriedade no final de agosto, quando o Webb encontrou dióxido de carbono em sua atmosfera. Foi a primeira detecção desse tipo e os especialistas classificaram a descoberta como um grande avanço. Agora, menos de três meses depois, uma avalanche de estudos baseados nas observações do grande telescópio revelou os detalhes mais minuciosos da atmosfera do astro, o que permitiu aos astrônomos tirar conclusões sobre a história da formação do exoplaneta.

“Essas primeiras observações são um prenúncio de mais ciência surpreendente que virá com o JWST”, disse Laura Kreidberg, diretora do Instituto Max Planck de Astronomia (MPIA) na Alemanha, que esteve envolvida nas observações, em um comunicado . "Colocamos o telescópio à prova para testar o desempenho, e foi quase perfeito - ainda melhor do que esperávamos."

As observações revelaram que WASP-39b está envolto em nuvens espessas contendo enxofre e silicatos. Esses produtos químicos interagem com a luz da estrela-mãe, produzindo dióxido de enxofre em uma reação semelhante à que produz ozônio na atmosfera da Terra .

O exoplaneta é um gigante gasoso com cerca de um terço do tamanho do maior planeta do sistema solar , Júpiter , e orbita a apenas 7 milhões de quilômetros de distância de sua estrela-mãe, ou seja, oito vezes mais perto do que a distância entre Mercúrio e o Sol.

Apesar da proximidade com a estrela de seu sistema praticamente inviabilizar o desenvolvimento da vida no planeta, as observações permitiram aos astrônomos testar métodos que um dia poderiam ajudar a detectar vida em outros exoplanetas.