Mercado fechará em 57 mins
  • BOVESPA

    111.227,43
    -846,12 (-0,75%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.395,32
    -623,59 (-1,13%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,32
    -0,09 (-0,12%)
     
  • OURO

    1.926,90
    -15,90 (-0,82%)
     
  • BTC-USD

    23.899,53
    +898,27 (+3,91%)
     
  • CMC Crypto 200

    545,95
    +0,63 (+0,12%)
     
  • S&P500

    4.183,75
    +64,54 (+1,57%)
     
  • DOW JONES

    34.018,93
    -74,03 (-0,22%)
     
  • FTSE

    7.820,16
    +59,05 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    21.958,36
    -113,82 (-0,52%)
     
  • NIKKEI

    27.402,05
    +55,17 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    12.824,25
    +410,00 (+3,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4613
    -0,0931 (-1,68%)
     

Telescópio TESS encontra novo exoplaneta orbitando estrela a 100 anos-luz

Um novo exoplaneta com tamanho semelhante ao da Terra foi descoberto em dados do telescópio espacial Transiting Exoplanet Survey Satellite (TESS), da NASA. Chamado “TOI 700 e”, o exoplaneta orbita sua estrela no interior da zona habitável, ou seja, viaja ao redor dela a uma distância que permite a ocorrência de água no estado líquido.

O exoplaneta TOI 700 e tem aproximadamente 95% do tamanho da Terra e parece ser rochoso. Ele leva 28 dias para orbitar sua estrela e pode ter “bloqueio de marés” em relação a ela, ou seja, mantém sempre um lado voltado para a estrela (como ocorre com a Lua, que tem sempre um lado voltado para nosso planeta).

Representação do exoplaneta TOI 700 e; ao fundo, está o mundo TOI 700 d (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech/Robert Hurt)
Representação do exoplaneta TOI 700 e; ao fundo, está o mundo TOI 700 d (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech/Robert Hurt)

Outra característica interessante é que ele fica na chamada “zona habitável otimista”, nome dado às distâncias da estrela em que a água líquida pode ter aparecido na superfície do planeta em algum ponto de sua história. Esta área se estende para ambos os lados da “zona habitável conservadora”, onde os pesquisadores acreditam que a água em estado líquido poderia existir ao longo da maior parte da vida do planeta.

Este mundo foi detectado na órbita de TOI 700, uma estrela anã do tipo M localizada a cerca de 100 anos-luz da Terra. Ela tem aproximadamente 40% da massa e tamanho do Sol, e chega a metade da temperatura de superfície do nosso astro. Agora, o novo mundo se junta a outros três já detectados anteriormente ali, chamados TOI 700 b, c e d.

“Se a estrela estivesse um pouco mais perto ou se o planeta fosse um pouco maior, poderíamos ter conseguido encontrar o TOI 700 no primeiro ano de dados do TESS”, observou Ben Hord, candidato a doutorado na Universidade de Maryland. “Mas o sinal era tão fraco que precisamos do ano adicional de observações do trânsito [planetário] para identificá-lo”.

Já Emily Gilbert, pesquisadora que liderou os estudos, destaca que este é um dos poucos sistemas conhecidos com vários pequenos planetas na zona habitável. “Isso torna o sistema TOI 700 interessante para acompanhamentos futuros: o planeta 'e' é mais ou menos 10% menor que o 'd', então o sistema também mostra como novas observações com o TESS nos ajudam a encontrar mundos cada vez menores”, disse.

A descoberta de outros sistemas com mundos de tamanho semelhante à Terra na região podem ajudar os cientistas planetários a entender melhor a história do Sistema Solar. “O TESS acabou de completar seu segundo ano de observações do céu do hemisfério norte, e estamos na expectativa para outras descobertas empolgantes escondidas no ‘baú do tesouro’ de dados”, acrescentou Allison Youngblood, vice-cientista de projeto do TESS.

As descobertas foram apresentadas durante a 241º reunião da Sociedade Astronômica Americana, e o artigo com os resultados será publicado na revista The Astrophysical Journal Letters.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: