Mercado abrirá em 7 h 3 min
  • BOVESPA

    108.376,35
    -737,80 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.006,11
    +197,55 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,47
    -1,03 (-1,31%)
     
  • OURO

    1.631,40
    -4,80 (-0,29%)
     
  • BTC-USD

    18.814,37
    -1.302,01 (-6,47%)
     
  • CMC Crypto 200

    430,18
    -28,96 (-6,31%)
     
  • S&P500

    3.647,29
    -7,75 (-0,21%)
     
  • DOW JONES

    29.134,99
    -125,82 (-0,43%)
     
  • FTSE

    6.984,59
    -36,36 (-0,52%)
     
  • HANG SENG

    17.409,92
    -450,39 (-2,52%)
     
  • NIKKEI

    26.014,04
    -557,83 (-2,10%)
     
  • NASDAQ

    11.239,50
    -94,25 (-0,83%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1400
    -0,0199 (-0,39%)
     

Telescópio James Webb tira bela foto de Netuno e seus anéis

Nesta quarta-feira (21), a NASA e a Agência Espacial Europeia (ESA) revelaram a primeira foto de Netuno e seus anéis e luas capturada pelo telescópio James Webb. A imagem mostra o planeta com a maior nitidez já vista em mais de 30 anos, coberto por faixas claras de poeira — alguns dos anéis que aparecem na foto foram observados pela última vez no fim da década de 1980, com a visita da sonda Voyager 2.

Graças à altíssima estabilidade do Webb e à qualidade de seus instrumentos, o telescópio pôde detectar os anéis pertinho do planeta. “Faz três décadas desde quando vimos pela últimas vez estes anéis fracos de poeira, e esta é a primeira vez que os observamos na luz infravermelha”, disse Heidi Hammel, especialista no sistema de Netuno e cientista interdisciplinar do Webb.

Confira:

Netuno e as luas Galateia, Náiade, Talassa, Despina, Proteu e Larissa; Tritão se destaca na imagem como o ponto brilhante com seis pontas (Imagem: Reprodução/NASA, ESA, CSA, STScI)
Netuno e as luas Galateia, Náiade, Talassa, Despina, Proteu e Larissa; Tritão se destaca na imagem como o ponto brilhante com seis pontas (Imagem: Reprodução/NASA, ESA, CSA, STScI)

Netuno é um planeta gigante gelado, rico em elementos mais pesados que o hidrogênio e o hélio. A aparência azulada em imagens capturadas na luz visível, como aquelas do telescópio Hubble, vem das pequenas quantidades de metano gasoso existentes por lá. Já na foto do Webb, o planeta não aparece com cor azul devido ao instrumento Near-Infrared Camera (NIRCam), que captura imagens em comprimentos de onda de 0,6 a 5 mícrons, no infravermelho próximo.

O metano gasoso absorve a luz vermelha e infravermelha, de modo que o planeta aparece escuro nestes comprimentos de onda da luz infravermelha próxima. Isso muda onde há nuvens de metano gelado a altas altitudes, capazes de refletir a luz solar antes de ser absorvida pelo composto no estado gasoso. Na foto, estas nuvens aparecem como faixas e manchas brilhantes.

Perceba também uma linha clara e discreta envolvendo o equador do planeta, que pode indicar uma assinatura visual da circulação global atmosférica, que alimenta os ventos e tempestades em Netuno. Outras características interessantes do planeta estão nas regiões polares: a foto destaca um brilho curioso no polo norte, e no sul, há uma faixa contínua de nuvens cercando um vórtice já conhecido ali.

As luas de Netuno não ficaram de fora, e sete das 14 que já conhecemos apareceram na imagem — uma delas é tão brilhante que até apareceu com as seis pontas, vindas da difração da luz no sistema de espelhos do novo telescópio. Ali, está a lua Tritão, a maior do planeta. Ela é capaz de refletir 70% da luz solar que incide sobre ela devido à cobertura de nitrogênio congelado.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: