Mercado abrirá em 25 mins
  • BOVESPA

    111.716,00
    -2.354,00 (-2,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.395,94
    -928,96 (-2,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,25
    -0,49 (-0,62%)
     
  • OURO

    1.651,30
    -4,30 (-0,26%)
     
  • BTC-USD

    18.904,41
    -179,08 (-0,94%)
     
  • CMC Crypto 200

    433,82
    -10,72 (-2,41%)
     
  • S&P500

    3.693,23
    -64,76 (-1,72%)
     
  • DOW JONES

    29.590,41
    -486,29 (-1,62%)
     
  • FTSE

    6.967,01
    -51,59 (-0,74%)
     
  • HANG SENG

    17.855,14
    -78,13 (-0,44%)
     
  • NIKKEI

    26.431,55
    -722,28 (-2,66%)
     
  • NASDAQ

    11.332,25
    -44,50 (-0,39%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1367
    +0,0391 (+0,77%)
     

Telescópio James Webb encontra o anel de Einstein mais perfeito já visto

O telescópio James Webb capturou uma imagem rara: um anel de Einstein perfeito! Criado pela deformação do espaço-tempo e a luz de uma galáxia distante, o fenômeno ajuda os cientistas a estudar as características da fonte luminosa. Também é mais uma validação das teorias de Albert Einstein.

Anéis de Einstein são eventos cósmicos transitórios — ou seja, temporários — produzidos por duas galáxias alinhadas com a Terra, formando lentes gravitacionais. A galáxia mais próxima é massiva o suficiente para distorcer o espaço-tempo ao seu redor, formando uma “lupa” para a galáxia mais distante

Quando a luz da galáxia mais afastada passa pela galáxia mais próxima, é “obrigada” a seguir a deformação do espaço-tempo criada pela gravidade. Assim, a luz chega na Terra com o curioso formado abaixo.

A galáxia lentificada, isto é, ampliada, aparece como um círculo vermelho neste anel de Einstein (Imagem: Reprodução/Spaceguy44/Reddit)
A galáxia lentificada, isto é, ampliada, aparece como um círculo vermelho neste anel de Einstein (Imagem: Reprodução/Spaceguy44/Reddit)

Essas galáxias estão em distâncias tão diferentes que podemos até mesmo distinguir qual é a mais próxima e a mais longínqua: galáxias brilhando em tons avermelhados estão mais distantes, enquanto as azuladas estão mais perto de nós. O fenômeno de “desvio para o vermelho” indica o quando uma luz viajou pelo universo antes de chegar até nós.

No caso dessa nova imagem, a galáxia distante se chama SPT-S J041839-4751.8 (ou JO418 para abreviar), localizada a cerca de 12 bilhões de anos-luz da Terra. À medida que o universo se expandiu ao longo de 12 bilhões de anos, suas ondas de luz foram “esticadas” até o lado vermelho do espectro visível.

A JO418 é uma das galáxias mais antigas do universo e está alinhada perfeitamente com a galáxia mais próxima, por isso o círculo está perfeitamente completo. Isso é bastante raro — na maioria dos casos, o resultado é um anel incompleto devido a minúsculas “imperfeições” no alinhamento entre as galáxias e a Terra.

Esta imagem foi processada por um estudante de graduação em astronomia e publicada no Reddit por um usuário que se chama de "Spaceguy44". Ele usou dados coletados pelo instumento Mid-Infrared Instrument (MIRI), do Telescópio Espacial James Webb, e disponíveis ao público.

Sem lentes gravitacionais, não poderíamos ver galáxias como a JO418, por isso esses fenômenos são tão importantes para cientistas que estudam o universo primitivo. A perfeição deste anel de Einstein é um “bonus” que, além de raro, encanta o público. Até então, alguns dos anéis de Einstein "quase" completos foram detectados pelo telescópio Hubble.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: