Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,11 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,12 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    -0,08 (-0,12%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +0,70 (+0,04%)
     
  • BTC-USD

    58.048,40
    -753,10 (-1,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,29 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,26 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,85 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,42 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +5,75 (+0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3671
    +0,0005 (+0,01%)
     

Telegram trabalha em 2 novos aplicativos web para substituir o atual

Alveni Lisboa
·3 minuto de leitura

O Telegram Web é um ótimo substituto provisório para quando se está longe do celular ou em alguma plataforma que não oferece suporte ao aplicativo nativo. É preciso admitir, contudo, que esta não é a versão mais bonita ou funcional do mensageiro, principalmente se levarmos em conta os recursos mais recentes. Os desenvolvedores, porém, parecem dispostos a mudar isso, pois estão em produção dois novos aplicativos web: o Telegram WebK e o Telegram WebZ.

Ambos são praticamente idênticos à primeira vista, têm visual moderno e suporte a funcionalidades como adesivos, GIFs animados, organização de pastas, animações e enquetes. Eles também possuem uma interface responsiva, com suporte a toque na tela caso você use-os em um navegador para smartphone.

Este é o Telegram WebK (Imagem: Alveni Lisboa/Canaltech)
Este é o Telegram WebK (Imagem: Alveni Lisboa/Canaltech)

Diferenciá-los é uma tarefa minuciosa, pois são apenas recursos específicos e pequenos elementos de design. O WebZ não tem suporte a sons de notificações nem atalho de instalação na barra de endereços — mas é possível fazer isso ao clicar no menu de três pontos do Chrome e selecionar “Instalar TelegramWebZ”.O web app tem o português disponível como linguagem, mas a tradução está bem incompleta. Ainda oferece papéis de parede personalizados e dá para definir um deles como padrão.

Já o WebK tem o atalho de instalação rápida e envia notificações de som, mas não tem opções de privacidade funcionais nem a seleção de papel de parede personalizado (apenas as imagens que o app disponibiliza). Ele também apresenta problemas no idioma português, mas parece estar em estágio mais avançado de tradução.

Este é o Telegram Z (Imagem: Alveni Lisboa/Canaltech)
Este é o Telegram Z (Imagem: Alveni Lisboa/Canaltech)

Ainda em fase de desenvolvimento

Apesar dessas novidades, esses aplicativos da web ainda deixam a desejar em muitos aspectos. Não há, por exemplo, suporte a chamadas de voz ou vídeo e os atalhos de teclado também são ignorados em ambos. Suporte a bate-papo de áudio? Nem pensar. Em razão do uso maior de recursos, é necessário possuir uma conexão com a internet mais estável, diferentemente da atual e tradicional versão web mais simplista.

Se você se pergunta por que criar dois aplicativos idênticos, saiba que não é o único. Ao que parece, os web apps foram feitos por desenvolvedores diferentes, por isso eles podem ser resultados de algum concurso ou demanda que a empresa deu para seus funcionários. Mas ambos parecem bem mais promissores do que a feia e velha opção atual.

E este é o Telegram Web atual, que pode ser substituído em breve (Imagem: Alveni Lisboa/Canaltech)
E este é o Telegram Web atual, que pode ser substituído em breve (Imagem: Alveni Lisboa/Canaltech)

Por enquanto, eles só possuem links de direcionamento na loja do Telegram em inglês, mas podem ser usados sem qualquer empecilho por brasileiros, apenas digitando o endereço no navegador. A dupla está em versão alpha, o que significa que ainda podem apresentar falhas e bugs em determinadas ocasiões.

Já escolheu o seu favorito? Então é só clicar em um dos links a seguir para ser levado à página correspondente: WebZ (webz.telegram.org) e WebK (webk.telegram.org).

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: