Mercado fechará em 3 h 29 min
  • BOVESPA

    111.201,42
    +275,82 (+0,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.413,10
    -44,45 (-0,09%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,61
    +0,39 (+0,48%)
     
  • OURO

    1.797,50
    -17,70 (-0,98%)
     
  • BTC-USD

    16.951,47
    -24,81 (-0,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    402,47
    +1,05 (+0,26%)
     
  • S&P500

    4.037,79
    -38,78 (-0,95%)
     
  • DOW JONES

    34.136,92
    -258,09 (-0,75%)
     
  • FTSE

    7.566,37
    +7,88 (+0,10%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.918,25
    -144,50 (-1,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4447
    -0,0207 (-0,38%)
     

Telegram suspende postagens pagas no iOS após reclamação da Apple

O Telegram encerrou o uso das publicações pagas no iOS devido a uma reclamação da Apple. Segundo o CEO do Telegram, Pavel Durov, os criadores estavam recebendo a soma total das quantias pagas por fãs e assinantes pelas postagens, o que desagradou a Maçã, que cobra uma taxa sobre as transações feitas no seu ecossistema.

“Infelizmente, recebemos a notificação da Apple de que eles não estavam satisfeitos com os criadores de conteúdo monetizando seus esforços sem pagar um imposto de 30%”, escreveu ele. “Como a Apple tem controle total sobre seu ecossistema, não tivemos alternativa a não ser desativar essas postagens pagas em dispositivos iOS”.

Muitos usuários usaram bots de pagamento de terceiros para vender publicações individuais pagas em seus canais. A ideia era parecida com a aplicada ao OnlyFans, no qual as pessoas podem pagar quantias para ver fotos ou acessar vídeos exclusivos.

O problema é que as transações do Telegram no iPhone precisam ser processadas pelo sistema de pagamento da Apple, conforme as diretrizes da loja oficial. A empresa desconta 30% das compras de aplicativos e complementos efetuados via App Store. Esse elevado percentual é uma das maiores críticas de quem lida com games e softwares nos dispositivos da Gigante de Cupertino.

Relação nada amistosa entre Telegram e Apple

Os posts pagos do Telegram são exibidos apenas quando o usuário paga por eles (Imagem: Reprodução/9to5Mac)
Os posts pagos do Telegram são exibidos apenas quando o usuário paga por eles (Imagem: Reprodução/9to5Mac)

Durov é um ferrenho crítico da Apple e aproveitou o momento para desferir mais ataques à empresa. Ele disse que a companhia "abusa de seu domínio de mercado às custas de milhões de usuários que estão tentando monetizar seu próprio conteúdo". O CEO do Telegram acredita que os órgãos reguladores de vários países precisam adotar medidas antes que a Apple "destrua mais sonhos e esmague mais empreendedores".

Por enquanto, o Telegram seguirá trabalhando em possíveis alternativas para permitir que os criadores possam ganhar dinheiro com o conteúdo. Ele disse que pretende ajudar a fazer isso "fora do ecossistema restritivo da Apple".

Vale lembrar é preciso muita cautela para fazer isso de modo correto. A Maçã não costuma ser muito amistosa quando o assunto é seu lucro e pode banir sem dó quem tenta passar-lhe a perna. A Epic Games é um claro exemplo disso, quando teve o game Fortnite banido da App Store por fornecer um método externo de pagamento.

Ontem (27), o Telegram começou a vender nomes de usuário como propriedades registradas em blockchain. Os compradores poderão usar o endereço personalizado do mensageiro como quiser, inclusive para especular e vender mais caro no futuro. Esta é outra forma encontrada pelo mensageiro para monetizar o serviço e ainda permitir a obtenção de lucro pelos revendedores.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: