Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,66 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,39 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,46 (+0,42%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    30.006,04
    +451,05 (+1,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,77 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,56 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,19 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -40,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1528
    -0,0660 (-1,26%)
     

Telegram proíbe uso por menores de 16 anos; veja novas regras

Com novas regras, só podem usar o mensageiro os maiores de 16 anos
Com novas regras, só podem usar o mensageiro os maiores de 16 anos
  • Telegram já está presente em 60% dos celulares no Brasil;

  • Mudanças acontecem após pressão do TSE e STF;

  • Esse tipo de regra já existe na Europa.

O Telegram anunciou que atualizou as regras de utilização da plataforma no Brasil. Agora, a empresa de origem russa vai exigir que seus usuários tenham a idade mínima de 16 anos para usar o mensageiro. Esse limite já existia para usuários do Reino Unido e da União Europeia.

Segundo o app, constam ainda como ações proibidas as “atividades reconhecidas como ilegais pela maioria dos países – como terrorismo e abuso infantil”. Empresa não informou como essa fiscalização será feita.

O mensageiro ainda proíbe mais três práticas:

  • Envio de spam ou golpes;

  • Violência em canais públicos e bots;

  • Conteúdo pornográfico ilegal em canais públicos e bots.

Atualmente o Telegram já está presente em 60% dos celulares no Brasil, com um crescimento de 15% comparado a 2021 — maior que seus concorrentes Signal, Facebook Messenger, Instagram e WhatsApp. Os dados são da pesquisa feita pelo Mobile Time com a consultoria Opinion Box.

Embora o Telegram tenha crescido consideravelmente no Brasil, o WhatsApp segue na liderança isolada e está presente em 99% dos celulares no país. Messenger e Instagram; o Messenger está presente em 71% dos smartphones, enquanto a rede de fotos e vídeos foi baixada em 82% dos aparelhos.

Pressão do TSE e STF

As mudanças no Telegram começaram a acontecer após pressão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e do Supremo Tribunal Federal (STF), que ordenou o bloqueio do mensageiro por falta de diálogo com autoridades brasileiras.

Após isso, o aplicativo assinou a sua adesão ao Programa de Enfrentamento à Desinformação. A iniciativa visa combater conteúdos falsos em relação à Justiça Eleitoral e às eleições.

Além do Telegram, plataformas digitais como Facebook, Google e TikTok. Nesses acordos, os aplicativos se comprometeram a usar os seus recursos para combater a disseminação de fake news.

Suspensão de grupos

Além da nova idade mínima, o Telegram suspendeu o “super grupo B-38 oficial”, um dos principais grupos bolsonaristas na plataforma, com cerca de 67.000 integrantes. Ao tentar acessar o chat, o aplicativo de mensagens informa que está temporariamente fora do ar, até que os administradores possam “remover as mensagens de usuários que postaram conteúdo ilegal”.

Aos usuários, o Telegram não informa quais publicações são ilegais. O grupo tinha posts antivacina e de descredibilização do sistema eleitoral brasileiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos