Mercado fechado

Telegram não unirá app de criptomoedas com o de mensagens — por enquanto

Fidel Forato

Depois de muitas especulações sobre os planos da Telegram em lançar sua própria moeda virtual, a Gram, - semelhante à Libra, do Facebook -, incluindo uma série de atrasos, parece que os executivos da empresa chegaram a um consenso. Isso porque, em comunicado divulgado nesta semana, o Telegram afirma que não planeja integrar seu aplicativo de mensagens ao seu aplicativo de carteira digital oficial, chamado de Telegram Open Network (TON) Wallet.

Pelo menos, essa ligação não deve ser de forma imediata e direta, o que pode ser uma boa tática para o momento de regulamentação, ou seja, até colocar o produto em andamento. Assim, o Telegram contorna os problemas que o Facebook vem enfrentando com as agências e órgãos reguladores.

“No momento do lançamento antecipado da Blockchain TON, o aplicativo TON Wallet do Telegram deverá estar disponível apenas de forma independente e não será integrado ao serviço Telegram Messenger. Nesse sentido, espera-se que a TON Wallet possa competir com outros aplicativos de carteira projetados e oferecidos por terceiros. O Telegram pode integrar o aplicativo TON Wallet ao serviço Telegram Messenger no futuro, na extensão permitida pelas leis e autoridades governamentais aplicáveis”, escreveu a empresa russa em comunicado.

Telegram não deve unir seu app de mensagens ao aplicativo de criptomoedas (Foto: Divulgação/ Telegram)

Não era para ser integrado?

Desde outubro de 2019, o Telegram dava sinais de que seu aplicativo de mensagens e o TON Wallet funcionariam de forma integrada, mas esta notícia muda os rumos, por enquanto. Já que empresa e três de seus funcionários, incluindo o CEO Pavel Durov, aguardam para prestar depoimento sobre um caso em andamento na Securities and Exchange Commission (SEC) dos EUA.

A empresa deve ser questionada sobre o fato de a venda de criptomoedas constituiur uma oferta de valores mobiliários. Até agora, o Telegram negou solicitações da SEC sobre acesso à informação. Na semana passada, por exemplo, recusou enviar documentos financeiros relacionados à venda da Gram, estipulada em US$ 1,7 bilhão.

Em contrapartida, suspendeu a venda de suas criptomoedas desde o final de outubro passado. E só deve retomar as atividades, após a resolução do caso.

Decisão

Nesse momento, existem muitas questões em jogo que fizeram o Telegram tomar a decisão de não integrar seu aplicativo TON Wallet ao de mensagens. Fazer isso, muito provavelmente, coincidiria com seu objetivo de criar um meio de troca de moeda fácil de usar, principalmente para os usuários já inscritos em sua popular plataforma de mensagens.

No entanto, nas declarações oficias, o Telegram enfatizou que não terá controle sobre o aplicativo. Mas esse não deve ser o fim da história, já que as decisões da SEC podem movimentar a empresa ainda este mês.


Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: