Mercado fechado
  • BOVESPA

    118.811,74
    +1.141,84 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.352,18
    -275,49 (-0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,63
    +0,31 (+0,52%)
     
  • OURO

    1.732,60
    -12,20 (-0,70%)
     
  • BTC-USD

    60.027,78
    +233,82 (+0,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.286,57
    -8,02 (-0,62%)
     
  • S&P500

    4.127,99
    -0,81 (-0,02%)
     
  • DOW JONES

    33.745,40
    -55,20 (-0,16%)
     
  • FTSE

    6.889,12
    -26,63 (-0,39%)
     
  • HANG SENG

    28.453,28
    -245,52 (-0,86%)
     
  • NIKKEI

    29.538,73
    -229,33 (-0,77%)
     
  • NASDAQ

    13.824,75
    -4,75 (-0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8304
    +0,0662 (+0,98%)
     

Telefónica entra em negociação exclusiva sobre negócio de fibra no Brasil

Isla Binnie
·2 minuto de leitura
.

Por Isla Binnie

MADRI (Reuters) - A Telefónica está em negociações exclusivas com um investidor financeiro para formação de uma joint venture de fibra óptica no Brasil, disse o diretor de operações Angel Vila nesta quinta-feira.

O grupo espanhol de telecomunicações está planejando expandir a cobertura de fibra de alta velocidade para mais cidades brasileiras, seguindo um projeto semelhante lançado na Alemanha em parceria com a seguradora Allianz.

"O Brasil é do tamanho de um continente. Nossos investimentos (capex) não vão atingir tudo", disse Vila à Reuters.

Após falar com vários parceiros potenciais, a empresa entrou em negociações exclusivas com uma "operadora internacional com perfil financeiro e de infraestrutura", disse Vila, preferindo não citar o investidor. As negociações avançaram, acrescentou, mas "nestas situações nunca se pode dizer 100% que vai assinar".

Anteriormente, Vila disse a analistas que uma segunda fase do desenvolvimento poderia ser realizada por meio de acordos com proprietários de fibra como a American Tower.

A Telefónica já usa a maior infraestrutura da empresa americana em Minas Gerais, e Vila disse que "pode ​​ter interesse em consolidar" esse acordo.

Vila disse não poder confirmar uma reportagem da Bloomberg de que as negociações exclusivas estavam sendo mantidas com o fundo de pensão canadense Caisse de depot el placement du Quebec (CDPQ), por causa de um acordo de confidencialidade.

"O CDPQ é um investidor global de longo prazo de primeira classe, o que seria muito atraente", acrescentou.

A American Tower não respondeu imediatamente a um pedido de comentário. CDPQ não pôde ser contatado imediatamente.

A Telefónica planeja deter metade dos negócios por meio de seu braço local Telefônica Brasil. Vila disse a analistas em teleconferência que pode expandir a unidade posteriormente por meio de aquisições.

A Telefónica cortou seus dividendos depois de reportar uma queda de 10% nos lucros de 2020, embora espere que seus negócios se estabilizem este ano.