Mercado abrirá em 5 h 34 min
  • BOVESPA

    114.428,18
    -219,81 (-0,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.686,03
    -112,35 (-0,21%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,92
    +0,48 (+0,58%)
     
  • OURO

    1.777,20
    +11,50 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    62.353,65
    +46,59 (+0,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.456,02
    +4,38 (+0,30%)
     
  • S&P500

    4.486,46
    +15,09 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    35.258,61
    -36,15 (-0,10%)
     
  • FTSE

    7.203,83
    -30,20 (-0,42%)
     
  • HANG SENG

    25.733,06
    +323,31 (+1,27%)
     
  • NIKKEI

    29.215,52
    +190,06 (+0,65%)
     
  • NASDAQ

    15.312,75
    +22,25 (+0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4137
    +0,0222 (+0,35%)
     

Telecine encerra operações no streaming e migra conteúdo para o Globoplay

·2 minuto de leitura

O Telecine vai deixar de ser uma plataforma de streaming muito em breve. O Grupo Globo anunciou que vai descontinuar o Telecine Play nos próximos meses e incorporá-lo ao Globoplay. A estratégia é justamente unificar as operações e fortalecer o serviço, que já é tido como a menina dos olhos da empresa.

Dessa forma, a marca Telecine se limitaria apenas aos canais da TV a cabo e todas as operações relacionadas à internet e ao streaming ficariam sob a bandeira do Globoplay. Procurada pelo Canaltech, o Grupo Globo afirma que a proposta é concentrar seus conteúdos “em um único ambiente e aprimorar a experiência dos usuários, além de trazer ganhos de sinergia para as operações”.

Segundo empresa, ideia é unificar tudo sob uma única bandeira e, com isso, levarcatálogo do Telecine Play para o Globoplay (Imagem: Reprodução/Telecine Play)
Segundo empresa, ideia é unificar tudo sob uma única bandeira e, com isso, levarcatálogo do Telecine Play para o Globoplay (Imagem: Reprodução/Telecine Play)

Como vai funcionar

De acordo com o Telecine, a migração deve ser concluída até o fim de 2021 — ou seja, é um projeto para muito em breve. Além disso, a nota da empresa explica que as assinaturas continuarão a existir separadamente e que apenas a oferta será feita em um único lugar. "O Telecine terá uma área personalizada dentro do app e da versão web do Globoplay, num modelo conhecido como channel, já utilizado na oferta do Premiere e do Combate. Não será necessário ser assinante do Globoplay para consumir o conteúdo do Telecine, que continua condicionado a uma assinatura específica", explica o texto.

Em termos práticos, isso significa não apenas que as assinaturas do Telecine continuam existindo e valendo como ainda serão necessárias para acessar esse conteúdo. O que muda é que esse acervo não estará mais em um serviço próprio, mas dentro do Globoplay. Assim, os seis canais ao vivo da TV a cabo e os filmes sob demanda ficarão dentro da mesma interface que as novelas e programas jornalísticos. Dessa forma, o Globoplay se torna uma grande plataforma guarda-chuva que passa a abrigar mais um produto do Grupo Globo — o que mexe de forma considerável com o mercado de streaming no Brasil.

Ainda que o Telecine passe a integrar o serviço como um conteúdo adicional e com uma assinatura avulsa, aos moldes do que já é feito com sseus canais esportivos, a unificação dá mais musculatura para a plataforma nacional bater de frente com gigantes internacionais, como a Netflix, Disney e Warner. Ao longo dos últimos meses, o Globoplay já deu sinais de que está interessado em apostar pesado em produções originais, como no caso do documentário O Caso Evandro, e na disponibilização do seu acervo de novelas — uma estratégia que já se mostrou bastante eficiente. Agora, com a integração do Telecine, parece que a ideia é levar a briga a um novo patamar.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos