Mercado fechará em 3 h 40 min
  • BOVESPA

    111.614,43
    -2.198,44 (-1,93%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.483,14
    -246,66 (-0,51%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,81
    +1,31 (+1,45%)
     
  • OURO

    1.763,80
    -7,40 (-0,42%)
     
  • BTC-USD

    21.464,05
    -1.962,79 (-8,38%)
     
  • CMC Crypto 200

    509,36
    -32,24 (-5,95%)
     
  • S&P500

    4.236,37
    -47,37 (-1,11%)
     
  • DOW JONES

    33.775,50
    -223,54 (-0,66%)
     
  • FTSE

    7.550,37
    +8,52 (+0,11%)
     
  • HANG SENG

    19.773,03
    +9,12 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    28.930,33
    -11,77 (-0,04%)
     
  • NASDAQ

    13.267,75
    -255,50 (-1,89%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2017
    -0,0121 (-0,23%)
     

Telas do Nothing Phone (1) apresentam tonalidade verde e pixels mortos

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O Nothing Phone (1), primeiro celular da Nothing, foi anunciado no último dia 12 de julho em países da Europa e da Ásia. Contudo, os primeiros usuários que já receberam o dispositivo estão relatando problemas com a tela, incluindo uma tonalidade verde que toma conta do display e pixels mortos.

Nas redes sociais, alguns consumidores estão alegando que as telas de algumas unidades do Nothing Phone (1) estão apresentando uma luminosidade verde nas bordas. O problema fica ainda mais evidente quando o brilho do display é aumentado. Não parece ser algo tão sério quanto o bug da tela verde em modelos da Samsung, ao menos por enquanto, mas já ligou o sinal de alerta em vários consumidores.

Um usuário indiano que conseguiu trocar o primeiro celular com o painel defeituoso recebeu um segundo aparelho com o mesmo problema. Então, supostamente, esse deve ser um defeito relacionado à remessa inicial dos dispositivos da fabricante.

Vale citar que a Nothing é uma empresa do cofundador da OnePlus, Carl Pei. Coincidentemente, alguns aparelhos da marca chinesa também tiveram o mesmo problema de telas com tonalidade verde no passado.

Outro problema relatado por donos do Nothing Phone (1) foi a presença de pixels mortos ao redor do furo para a câmera frontal. Segundo o canal indiano de tecnologia Beebom, o problema foi detectado com menos de três horas de uso do dispositivo que estava em análise.

Devido à grande quantidade de casos similares, os consumidores estão questionando se a pressa da Nothing em lançar o primeiro smartphone afetou a qualidade dos produtos. Bem como, se a empresa tem planos para solucionar esses problemas ou ressarcir os usuários “early adopters”.

Mais casos incomuns

Ao pesquisar pela hashtag #NothingPhone1 no Twitter, é possível encontrar outros casos incomuns relacionados ao celular. Por exemplo, um usuário compartilhou uma foto do dispositivo com umidade no interior transparente e dentro dos sensores da câmera após poucas horas de uso.

Outro relato curioso é de um consumidor que supostamente recebeu um telefone usado, pré-configurado e com a bateria descarregada. Além disso, a memória do dispositivo trazia vídeos e fotos feitas pela equipe responsável pela fabricação do aparelho.

Com características de intermediário premium e visual ousado, o Nothing Phone (1) foi lançado em 12 de julho. Na Inglaterra, o dispositivo pode ser encontrado com preços sugeridos a partir de 399 libras esterlinas (cerca de R$ 2.555 na atual conversão direta). Não há previsão de lançamento no Brasil.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos