Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    45.373,40
    -1.558,22 (-3,32%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

Tela do Galaxy S21 Ultra promete economizar bateria em até 16%

Felipe Junqueira
·2 minuto de leitura

Em 2020, a série Galaxy S20 inovou com tela de taxa de atualização de 120 Hz, a primeira da Samsung a oferecer o recurso. Porém, havia uma limitação: o usuário só podia ativar o recurso na resolução Full HD. Com o lançamento do Galaxy S21 Ultra, finalmente é possível aproveitar a suavidade maior da tela com mais pixels e nitidez melhor do Quad HD.

Isso levou muita gente a se perguntar como a Samsung conseguiu tal feito sem pôr em risco a duração da bateria. Claro, pois quanto mais pixels a serem exibidos e quanto maior a taxa de atualização, mais energia é necessária. A resposta a esta questão veio da Samsung Display, divisão da sul-coreana responsável pela produção das telas: seguro a empresa, o S21 Ultra usa um novo tipo de painel OLED que consome menos energia.

O novo painel de baixa consumo de energia, desenvolvido inicialmente só para celulares, reduz em até 16% o consumo energético. A nova tecnologia está presente exclusivamente no Galaxy S21 Ultra, mas no futuro será utilizada em mais modelos, promete a fabricante.

Elétrons mais rápidos

Tela do S21 Ultra é até 16% mais econômica graças a nova tecnologia (Imagem: Divulgação/Samsung)
Tela do S21 Ultra é até 16% mais econômica graças a nova tecnologia (Imagem: Divulgação/Samsung)

Para reduzir o consumo de energia, a Samsung criou um novo material com um processo que permite aos elétrons fluírem com mais facilidade e rapidez pelas camadas orgânicas da tela. Assim, é possível gerar luz mais brilhante com menos gasto de energia, aumentando a vida útil da carga da bateria.

Telas com painéis OLED não precisam de uma fonte de energia pois são capazes de acender ou apagar áreas isoladas conforme a necessidade, o que garante telas mais finas e demanda menos carga para funcionar — ou seja, já são naturalmente mais eficientes que telas LCD.

A Samsung Display já soma mais de 5.000 patentes que envolvem o uso de materiais orgânicos em displays, e segue com as pesquisas para produzir telas maiores, com mais resolução e menos consumo de energia.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: