Mercado fechado

Tecnologia e decoração? Confira 5 tendências para quem atua na área

A tecnologia e seus recursos facilitadores estão presentes em grande parte dos setores da sociedade brasileira. Através dela, atualmente, é possível trabalhar remotamente, ativar dispositivos com a voz ou utilizar algoritmos para calcular o melhor resultado. Profissionais de todas as áreas vêm buscando se digitalizar, à medida que novos gadgets são lançados no mercado diariamente, e com a arquitetura não seria diferente.

A COO e Co-fundadora da La Decora, Gabriela Accorsi, listou algumas tendências da tecnologia na área para os próximos anos. Segundo a arquiteta, não há motivos para os profissionais não investirem nas soluções tecnológicas, visto que, além de não ser possível se opor a 'nova era', não há por que fazê-lo. "Se as novas ferramentas tecnológicas agilizam, trazem mais acessibilidade e firmam a qualidade dos projetos de decoração, qual seria o motivo para a reticência de alguns arquitetos e decoradores da área?".

Visando não só facilitar a vida de arquitetos e decoradores, mas entregar uma experiência mais satisfatória para seus clientes, as ferramentas tecnológicas auxiliam desde a apresentação de um projeto até a tomada de decisões durante o processo de concepção. Confira cinco tendências da tecnologia na área de decoração, a seguir;

Cinco tendências tecnológicas para decoração

O parametric design, ou arquitetura paramétrica, utiliza algoritmos para ler parâmetros e escolher o design do prédio. (Imagem: Reprodução/Hélène Binet/ArchDaily)
O parametric design, ou arquitetura paramétrica, utiliza algoritmos para ler parâmetros e escolher o design do prédio. (Imagem: Reprodução/Hélène Binet/ArchDaily)

1. App de scanner de ambientes

O scanner de ambientes utilizando a câmera do celular é uma das principais soluções tecnológicas da área. Além de aumentar a precisão do levantamento do ambiente, torna tais informações acessíveis a qualquer momento na palma de sua mão. O Canaltech já separou quatro apps de medição de ambientes utilizando realidade aumentada. E aí, será que já podemos dar adeus para a clássica dupla de trena e prancheta?

2. Algoritmo para selecionar móveis

Quem nunca conheceu aquela pessoa que gosta de tudo um pouco e não possui um estilo preferido? Saber interpretar os gostos dos clientes sempre foi um grande desafio para profissionais da área. Através da coleta de dados de um cliente, algoritmos estão sendo desenvolvidos para agilizar o processo de tomada de decisão na concepção de um projeto. Além de auxiliar na composição dos objetos em um ambiente, seja pela ocupação do espaço quanto pela combinação visual, os algoritmos permitem acelerar processos, antes manuais e burocráticos.

3. Comunicação remota

A comunicação remota entre profissionais e clientes se tornou indispensável. A internet e as redes sociais trouxeram a possibilidade de relacionar pessoas a milhares de quilômetros de distância, tornando possível se conectar com clientes, desde a contratação até a elaboração de projetos, de maneira 100% remota. Além disso, o home office é realidade para grande parte dos arquitetos e decoradores, exigindo uma maior flexibilidade para reuniões e consultorias através de meetings.

4. Apresentações em 360° e realidade virtual

As maquetes virtuais já estão presentes no mercado há muitos anos, apresentando renderizações cada vez mais realísticas. A visualização em 360°, porém, chega para entregar uma experiência ainda mais imersiva. Através da realidade virtual, é possível caminhar, visualizar detalhes e vivenciar o ambiente através de um modelo 3D. A ferramenta é útil tanto para que os profissionais tenham uma maneira mais tangível de projetar e experimentar espaços, quanto para os clientes serem apresentados a propostas inovadoras.

5. Diminuição do tempo de projetos

A possibilidade de realizar modificações de maneira simples e em tempo real com seus clientes traz muitos benefícios, e um deles é o encurtamento de processos e a agilização de burocracias. Com uma comunicação mais efetiva, projetos mais precisos e recursos facilitadores, uma das tendências é que o tempo gasto projetando diminua.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: