Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.750,22
    +1.458,62 (+1,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.646,03
    -288,18 (-0,66%)
     
  • PETROLEO CRU

    46,09
    +0,45 (+0,99%)
     
  • OURO

    1.842,00
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    19.037,37
    -10,92 (-0,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    365,19
    -14,05 (-3,71%)
     
  • S&P500

    3.699,12
    +32,40 (+0,88%)
     
  • DOW JONES

    30.218,26
    +248,74 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.550,23
    +59,96 (+0,92%)
     
  • HANG SENG

    26.835,92
    +107,42 (+0,40%)
     
  • NIKKEI

    26.751,24
    -58,13 (-0,22%)
     
  • NASDAQ

    12.509,25
    +47,00 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2497
    +0,0137 (+0,22%)
     

TCU libera edital de leilão de 1º trecho da ferrovia Fiol

·1 minuto de leitura
.
.

SÃO PAULO (Reuters) - O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, anunciou nesta quarta-feira que o Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou edital para o leilão do primeiro trecho da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), na Bahia.

Em mensagem no Twitter, Freitas afirmou que o governo agora "vai correr para publicar o edital ainda neste ano e já bater o martelo no 1º trimestre de 2021".

O primeiro trecho da Fiol vai da cidade de Caetité (BA) a Ilhéus (BA) e atenderá à produção mineral, disse o ministro. A expectativa de investimento privado no trecho é 3,3 bilhões de reais e a duração do contrato de concessão é de 35 anos, informou o ministério.

As obras da Fiol estão a cargo da estatal Valec, divididas em dois segmentos. Um, entre Ihéus e Caetité, tem 537 quilômetros e deve consolidar um corredor de escoamento de minério do sul da Bahia, além de facilitar o transporte de grãos do oeste baiano, conectando-se a um importante complexo portuário a ser construído nas imediações de Ilhéus, segundo a pasta. O outro irá de Caetité e Barreiras, próximo da fronteira com Tocantins, trecho de cerca de 450 quilômetros.

Os estudos preveem uma carga transportada de 18,4 milhões de toneladas nos primeiros anos de operação, podendo chegar a 33,8 milhões de toneladas em 2054, segundo o ministério.

A remuneração do vencedor do leilão será feita por meio de recebimento da tarifas de transporte, de direito de passagem e tráfego mútuo. Além disso estão previstas receitas decorrentes de "operações acessórias e da exploração de projetos associados", afirmou o ministério.

(Por Alberto Alerigi Jr.; edição Aluísio Alves)