Mercado abrirá em 5 h 30 min
  • BOVESPA

    110.909,61
    +2.127,46 (+1,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.174,06
    -907,27 (-1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,76
    +0,56 (+0,72%)
     
  • OURO

    1.767,90
    +4,20 (+0,24%)
     
  • BTC-USD

    16.865,38
    +401,67 (+2,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    400,82
    +12,10 (+3,11%)
     
  • S&P500

    3.957,63
    -6,31 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    33.852,53
    +3,07 (+0,01%)
     
  • FTSE

    7.512,00
    +37,98 (+0,51%)
     
  • HANG SENG

    18.228,70
    +24,02 (+0,13%)
     
  • NIKKEI

    27.968,99
    -58,85 (-0,21%)
     
  • NASDAQ

    11.538,50
    +13,75 (+0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4675
    +0,0109 (+0,20%)
     

TCU arquiva pedido para suspender consignado ligado ao Auxílio Brasil na Caixa

.

SÃO PAULO (Reuters) - O Tribunal de Contas da União (TCU) negou nesta sexta-feira um pedido do Ministério Público para mandar a Caixa Econômica Federal suspender a concessão de crédito consignado a beneficiários do Auxílio Brasil.

No despacho, o relator do caso, Aroldo Cedraz, afirmou que os documentos apresentados pela Caixa mostraram que a decisão de ofertar o empréstimo aos beneficiários do programa assistencial "observou ritos de governança empresarial" e "teve evidenciada sua viabilidade comercial e financeira, bem como que o produto se alinha ao planejamento estratégico daquele banco público e que outras instituições financeiras também o ofertam".

Além disso, o ministro afirmou que as respostas do banco ao pedido de esclarecimentos pelo TCU "afastaram por completo a suposta irregularidade quanto à não observância de procedimentos operacionais ou de análises de risco essenciais e prévios à decisão de ofertar o empréstimo consignado aos beneficiários do Auxílio Brasil".

Por isso, Cedraz determinou o arquivamento do processo.

O programa de empréstimos aprovado em agosto pelo governo Jair Bolsonaro (PL) criou polêmica, com críticos classificando o consignado como eleitoreiro, por vir pouco antes da corrida presidencial, e voltado para famílias de capacidade de pagamento muito limitada. O Auxílio Brasil é de 600 reais por mês.

Bolsonaro, que tentava reeleição, foi derrotado no último domingo por Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que criticou o programa durante a campanha, por elevar o endividamento da população de baixa renda.

Em nota, a Caixa disse que até 14 de novembro, o consignado para beneficiários do Auxílio Brasil "não estará disponível para contratação". O banco declinou de comentar a decisão do TCU.

(Por Aluísio Alves)