Mercado abrirá em 4 h 54 min
  • BOVESPA

    113.031,98
    +267,72 (+0,24%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.638,36
    -215,01 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,72
    -0,69 (-0,77%)
     
  • OURO

    1.792,80
    -5,30 (-0,29%)
     
  • BTC-USD

    24.038,20
    -3,78 (-0,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    570,17
    -20,59 (-3,49%)
     
  • S&P500

    4.297,14
    +16,99 (+0,40%)
     
  • DOW JONES

    33.912,44
    +151,39 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.537,30
    +28,15 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    19.807,17
    -233,69 (-1,17%)
     
  • NIKKEI

    28.868,91
    -2,87 (-0,01%)
     
  • NASDAQ

    13.648,75
    -32,50 (-0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1758
    -0,0027 (-0,05%)
     

TC acusa Empiricus de estar por trás de vídeo anônimo

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente do TC (Traders Club), Pedro Albuquerque, acusa sua concorrente Empiricus de ser a autora de um vídeo apócrifo que circula na internet com insinuações de que sua empresa comete crimes contra o mercado financeiro. Ele afirma que a Empiricus manipula o mercado de capitais com o objetivo de destruir sua empresa e obter lucros.

Distribuído em grupos de WhatsApp em 28 de junho, o vídeo mostra uma mulher com maquiagem de palhaço dizendo que o TC manipula ações negociadas na Bolsa. No final, ela diz que "tem muita coisa ainda por vir". Em seguida, sem apresentar provas, ela fala em 17 supostos casos de assédio e pergunta se é verdade que houve um estupro coletivo de uma ex-colaboradora dentro da sede da empresa. Segundo o TC, as insinuações são mentirosas.

A empresa protocolou um pedido de investigação na Polícia Federal sobre a autoria do vídeo em 8 de julho. O documento não acusa diretamente a Empiricus, afirmando que um relatório de outubro do ano passado produzido pelo concorrente, recomendando a venda de ações do TC, "parece ter servido de pano de fundo" para o vídeo.

Por ser uma empresa concorrente, a Empiricus seria parte interessada na queda das ações do TC, diz Albuquerque. É com base nesse contexto que o TC apresentou em 29 de junho, ao Tribunal de Justiça de São Paulo, um pedido judicial para que a Empiricus retire o vídeo da internet, caso seja ela a responsável pela peça.

Procurada pela reportagem, a Empiricus disse que não comentaria.

Albuquerque afirma ter recebido posteriormente arquivos obtidos de fonte anônima por meio do seu canal de relação com investidores que indicam o envolvimento da Empiricus no vídeo, e que ainda serão incluídos no pedido de investigação protocolado.

O presidente do TC mostrou trechos desse material. A reportagem não pode confirmar a autenticidade.

Segundo Albuquerque, esses arquivos apontam que a Empiricus planejava conciliar a divulgação de um segundo vídeo com uma aposta milionária na queda das ações do TC.

"Um material gravíssimo, no qual é dito que os principais sócios da Empiricus organizaram, estavam combinando, a divulgação do segundo vídeo, inclusive com uma mesa de operações, que acreditamos que seja a Vitreo, empresa da Empiricus que está com uma aposta massiva contra a nossa empresa, organizando a divulgação e como eles iriam auferir os lucros", afirma Albuquerque.

De acordo com dados levantados pelo TC por meio de seu sistema Economatica, fundos da corretora Vitreo lideravam apostas contra as ações do Traders Club até março de 2022, última informação disponível, mantendo uma posição de aproximadamente R$ 30 milhões contra a empresa.

Da mesma forma que é possível comprar uma ação com base na crença de que haverá valorização, também é viável realizar uma operação que paga lucros se o ativo cair. É o que o mercado chama de operar vendido ou short selling. A prática é legal.

O que não se pode fazer é propositalmente induzir investidores a vender a ação contra a qual se apostou para, assim, obter lucros. É disso que Albuquerque acusa a Empiricus.

"O fato é que há uma intenção clara, com as provas que estamos apresentando, de um crime de manipulação para auferir lucro. Há uma intenção financeira. Uma aposta massiva contra o TC", diz Albuquerque.

O TC também considera que a Empiricus busca destruir um concorrente para facilitar o cumprimento de uma cláusula de performance, incluída na operação de venda da Empiricus ao BTG Pactual, no ano passado.

Do fechamento do mercado em 27 de junho, um dia antes de o vídeo começar a circular, até esta segunda-feira (25), as ações do Traders Club negociadas na Bolsa despencaram 45%.

O tombo representou perda de aproximadamente R$ 1 bilhão em valor de mercado para o TC, hoje avaliado em cerca de R$ 1,1 bilhão.

No mesmo período, o índice de referência Ibovespa cedeu 0,49%, enquanto o indicador da carteira das small caps -empresas com valor mais baixo de mercado, da qual o TC faz parte- recuou 1,70%.

Procurado pela reportagem, o BTG respondeu que não comentaria.

Empiricus e TC disputam assinantes para seus serviços de análises e educação financeira para pessoas físicas, segmento da Bolsa que cresceu 56% e encostou nos 5 milhões de participantes em 2021, mas que agora passa por uma crise devido à queda do mercado de ações provocada pela alta dos juros.

*

Colaborou Marcelo Azevedo

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos