Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.782,15
    -194,55 (-0,18%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.081,33
    -587,31 (-1,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,56
    -0,68 (-0,88%)
     
  • OURO

    1.739,60
    -0,70 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    16.213,58
    -226,37 (-1,38%)
     
  • CMC Crypto 200

    380,17
    -0,12 (-0,03%)
     
  • S&P500

    3.963,94
    -62,18 (-1,54%)
     
  • DOW JONES

    33.849,46
    -497,57 (-1,45%)
     
  • FTSE

    7.474,02
    -12,65 (-0,17%)
     
  • HANG SENG

    17.297,94
    -275,64 (-1,57%)
     
  • NIKKEI

    28.162,83
    0,00 (0,00%)
     
  • NASDAQ

    11.620,00
    +3,75 (+0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5478
    -0,0766 (-1,36%)
     

Taxas de utilização de refinarias dos EUA podem chegar a 90% pelo 3º trimestre consecutivo

Refinaria LyondellBasell em Houston, Texas, EUA

Por Erwin Seba

HOUSTON (Reuters) - As taxas de utilização das refinarias de petróleo dos EUA, métrica de como as operadoras veem a demanda futura de combustível, podem chegar a 90% no próximo trimestre pelo terceiro período consecutivo, refletindo estoques escassos e forte demanda por diesel, segundo projeções de analistas do setor.

Historicamente, as taxas de utilização caem no quarto trimestre à medida que as refinarias iniciam a manutenção de inverno e o consumo de combustível diminui após o término da temporada de verão nos EUA.

No último trimestre deste ano, no entanto, as operadoras podem manter as taxas de produção altas para obter fortes margens de diesel, disseram analistas.

A previsão não contempla o impacto potencial de um grande furacão atingindo a costa do Golfo dos EUA, lar de quase metade do refino de petróleo do país. Também exclui interrupções não planejadas nas refinarias ou uma possível recessão econômica profunda que reduz a demanda, disseram analistas.

Os refinadores evitarão um impacto direto do furacão Ian, que segue em direção à Flórida.

"Menores processamentos da gasolina reduziram as margens de refino nas últimas semanas, mas as margens gerais ainda são bastante atraentes", disse Matthew Blair, chefe de pesquisa de refino da Tudor Pickering Holt & Co, especialista em energia.

“Esperamos 90% ou mais, excluindo um grande furacão”, acrescentou.

A utilização geral nos EUA --a quantidade de petróleo processada em comparação com a capacidade nominal de uma planta-- ficou acima de 92% e 93%, respectivamente, no segundo e terceiro trimestres deste ano, disse Blair.

No primeiro trimestre, a média foi de 89,5%.

As margens de lucro este ano foram muito fortes, mas arrefeceram com as quedas no consumo de gasolina.

A demanda na Europa tornou o fornecimento de diesel mais apertado globalmente, disse John Auers, diretor administrativo da Refined Fuels Analytics, parte da consultoria RBN Energy.

“As margens do diesel serão maiores, disse Auers. “Acho que isso aumentará as margens de refino”.

Preocupações com o fornecimento mais apertado de diesel estão aumentando as operações nas refinarias, disse Robert Yawger, diretor de futuros de energia da Mizuho.

"As refinarias estão preocupadas com o fato de a situação do combustível estar em mínimos de vários anos", disse Yawger. "Elas estão tentando produzir mais".

(Por Erwin Seba)