Mercado abrirá em 6 h 37 min

Taxa de desemprego caiu apenas em São Paulo no 3º trimestre, aponta IBGE

Bruno Villas Bôas

Ainda de acordo com o instituto, Rondônia foi a única unidade federativa a registrar aumento na taxa Das 27 unidades da federação, 25 apresentaram estabilidade na taxa de desemprego no terceiro trimestre deste ano, frente ao segundo trimestre, mostra a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Para o IBGE, considerando o intervalo de confiança (margem de erro) da pesquisa, a taxa de desemprego recuou apenas em São Paulo, para 12% no terceiro trimestre deste ano, de 12,8% no três meses imediatamente anteriores. A taxa de desemprego cresceu em Rondônia, de 6,7% para 8,2%, por essa mesma base de comparação.

IBGE: Mais de 3 milhões buscam emprego há mais de dois anos

Informalidade na construção gera queda do desemprego em SP

Só 47,4% do Norte e Nordeste contribuem para a Previdência

No fim de outubro, o IBGE divulgou que a taxa de desemprego nacional recuou para 11,8% no terceiro trimestre, de 12% no segundo trimestre deste ano. Hoje, o IBGE detalha os resultados do mercado de trabalho brasileiro por unidades da federação e grandes regiões do país, além de outros indicadores.

As dez maiores taxas de desemprego do país no terceiro trimestre deste ano estavam na Bahia (16,8%), Amapá (16,7%), Pernambuco (15,8%), Alagoas (15,4%), Roraima (15%), Sergipe (14,7%), Rio de Janeiro (14,5%), Maranhão (14,1%), Rio Grande do Norte (13,4%) e Amazonas (13,3%), conforme a pesquisa do IBGE.

As dez menores taxas de desemprego do país estavam em Santa Catarina (5,8%), Mato Grosso do Sul (7,5%), Mato Grosso (8%), Rondônia (8,2%), Rio Grande do Sul (8,8%), Paraná (8,9%), Minas Gerais (9,9%), Tocantins (10,5%), Espírito Santo (10,6%) e Goiás (10,8%).